PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Prêmio de R$ 17,2 mi ajuda Fortaleza contra cálculo de déficit de R$ 14 mi

O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz - Reprodução/Instagram
O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz Imagem: Reprodução/Instagram
Conteúdo exclusivo para assinantes
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

23/09/2021 10h51

Ao eliminar o São Paulo e se classificar para as semifinais da Copa do Brasil pela primeira vez em sua história, o Fortaleza assegurou R$ 17.210.000 em prêmios na competição. A quantia é fundamental para o Tricolor cearense tentar mudar a previsão de déficit de R$ 14 milhões na temporada.

A projeção pessimista foi feita por conta dos efeitos da pandemia de covid-19 nas finanças do clube, principalmente por causa dos jogos sem público.

Apesar da bolada já abocanhada na Copa do Brasil, a situação ainda não é superavitária, conforme disse ao blog o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz.

"Primeiro é importante esclarecer que não são R$ 17 milhões líquidos que entram na conta do clube. Você já tira 10% de INSS e direito de arena, cinco de cada. Então, diminui R$ 1.700.000. Ficam R$ 15.300.000. Desse valor, tem uma boa quantia que vai para os jogadores. O bicho, que não vai só para os jogadores, eles dividem também entre funcionários e membros da comissão técnica. O restante é para o clube. E esse restante está sendo usado justamente para cobrir o déficit previsto no orçamento. Ainda não está em superávit, mas ajudou a gente a chegar até aqui, navegando com as contas em dia", disse Paz ao blog.

A previsão orçamentária levava em conta que o Fortaleza chegaria até as oitavas de final da Copa do Brasil.

Apesar de o clube já ter superado essa previsão, aumentando a receita com premiação, o presidente diz que não é possível afirmar que haverá superávit em 2021.

"Temos que aguardar a performance no fim do ano. Tem muito peso", declarou o dirigente.

O futuro do clube na Copa do Brasil será decisivo no aspecto financeiro. O vice-campeão da competição levará mais R$ 23 milhões. Quem levantar a taça receberá mais R$ 56 milhões.

Também há expectativa em relação à premiação que o clube ganhará de acordo com sua posição final na tabela do Brasileirão.

Blog do Perrone