PUBLICIDADE
Topo

Blog do Perrone

Em clube com 2° maior orçamento da Grécia, alvo do Palmeiras sofre críticas

Abel Ferreira comanda treino no PAOK em outubro de 2020 - Reprodução/Twitter
Abel Ferreira comanda treino no PAOK em outubro de 2020 Imagem: Reprodução/Twitter
Perrone

Ricardo Perrone é formado em jornalismo pela PUC-SP, em 1991, cobriu como enviado quatro Copas do Mundo, entre 2006 e 2018. Iniciou a carreira nas redações dos jornais Gazeta de Pinheiros e A Gazeta Esportiva, além de atuar como repórter esportivo da Rádio ABC, de Santo André. De 1993 a 1997, foi repórter da Folha Ribeirão, de onde saiu para trabalhar na editoria de esporte do jornal Notícias Populares. Em 2000, transferiu-se para a Folha de S.Paulo. Foi repórter da editoria de esporte e editor da coluna Painel FC. Entre maio de 2009 e agosto de 2010 foi um dos editores da Revista Placar.

29/10/2020 11h20

Time caro, rendimento abaixo do esperado e treinador pressionado. A definição serve para o Palmeiras no final da última era Vanderlei Luxemburgo, mas, no caso, trata-se do PAOK treinado pelo português Abel Ferreira. Ou seja, o treinador que está perto de fechar com o alviverde sofre críticas por seu trabalho atual.

Antes do início desta temporada, os cartolas do clube grego chegaram até a discutir possíveis substitutos para o português, dono de salário anual de 1 milhão de euros, livres de impostos, conforme apuração do blog.

Ferreira chegou ao PAOK em julho de 2019, após o clube ter sido campeão nacional na temporada 2018/2019 encerrando jejum de 34 anos.

Sexto colocado no campeonato da Grécia atualmente, o PAOK tem o segundo maior orçamento do país, atrás apenas do Olympiacos. A competição está no início, e o time de Ferreira acumula duas vitórias e três empates. Está invicto.

O PAOK eliminou o Benfica, comandado por Jorge Jesus, no caminho para a fase de grupos da Liga dos Campeões, mas foi eliminado pelo Krasnodar, da Rússia, antes de chegar lá.

A eliminação rendeu muitas críticas de torcedores. O sentimento foi de uma chance dourada de jogar a fase de grupos do principal torneio europeu desperdiçada depois de fazer o mais difícil: despachar o Benfica.

Na temporada passada, o desempenho do time de Ferreira esteve longe de ser considerado um fracasso. A equipe foi vice-campeã grega, atrás apenas do Olympiacos, o dono do pedaço.

Mesmo assim, Ferreira terminou a temporada pressionado. De acordo com empresário com trânsito na diretoria do clube, existe a avaliação de que o relacionamento do treinador com os jogadores não é bom. Há também a crítica de que ele supostamente tirou injustamente o espaço de jogadores importantes e que alguns deixaram o clube, enfraquecendo o time campeão na temporada anterior. O brasileiro Léo Mattos e o ex-capitão do time Pelkas estão entre eles.

Nas redes sociais, após o vazamento da negociação com o Palmeiras, o sentimento do torcedor do PAOK que se manifestou em inglês variou entre respeito pelo treinador e alívio por sua possível partida.

Num dos casos, ao responder a um palmeirense, fã do PAOK, classificou Ferreira como um bom técnico que não se adaptou ao futebol grego, mas que deve se adaptar melhor ao Brasil.

No Palmeiras, há quem atribua ao menos parte das críticas a Ferreira a empresário que teve jogador barrado pelo treinador.

Blog do Perrone