PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Com Lisca, Vasco adota novo perfil e ameaça o São Paulo na Copa do Brasil

Lisca durante jogo contra o Guarani - Jorge Rodrigues/AGIF
Lisca durante jogo contra o Guarani Imagem: Jorge Rodrigues/AGIF
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

28/07/2021 04h00

No dia do sorteio dos confrontos pela Copa do Brasil, muitas pessoas atribuíram à tradição uma possibilidade de confronto duro entre São Paulo e Vasco. Normal diante do título paulista tricolor e da má fase da equipe carioca, mesmo na segunda divisão.

Mas na semana passada o Vasco trocou o comando técnico. Marcelo Cabo foi demitido, deixando o time na nona colocação, quatro pontos atrás da zona de acesso à Série A. Após a estreia do novo técnico, Lisca, o time é sexto, a um ponto desse objetivo.

A vitória sobre o Guarani por 4 a 1 em São Januário foi motivadora para os vascaínos. E ficou evidente a imediata mudança de postura da equipe, com claras mudanças em fundamentos que retratam a maneira como o time se comportou nesse jogo.

Em média o time soma 304 passes certos, contra o Guarani foram 341. Os vascaínos desarmam corretamente 13 vezes por partida, sábado foram 19, enquanto as finalizações subiram de 11,6 por compromisso para 15. Detalhe: sete delas certas e foram marcados quatro gols.

Nos lançamentos, a média do Vasco é de 34,7, diante do Burgre o Footstats registrou 23. Cruzamentos por partida são 20,9, desta vez o time cravou 11. Pelo menos nessa estreia do novo técnico, o que se viu foi um Vasco diferente em proposta de jogo e resultado.

Somando esse começo animador de Lisca à goleada (5 a 1) sofrida pelo São Paulo diante do Flamengo no domingo, não é absurdo esperar mais equilíbrio no duelo pela Copa do Brasil. Os times vivem momentos muito diferentes em relação ao dia do sorteio.

Detalhe: mesmo rebaixado no Brasileiro 2020, o Vasco não perdeu para os tricolores naquele campeonato. Primeiro venceu no Rio de Janeiro, depois empatou em São Paulo contra um adversário que chegaria à liderança do certame. Nesta quarta-feira os times se reencontrarão no Morumbi.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL