PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Graves, erros defensivos do Flamengo ameaçam time na Libertadores

Unión La Calera comemora gol de Ariel Martínez - Pablo Sanhueza - Pool/Getty Images
Unión La Calera comemora gol de Ariel Martínez Imagem: Pablo Sanhueza - Pool/Getty Images
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

12/05/2021 01h37

Na pior atuação do Flamengo nesta Libertadores, o melancólico empate (2 a 2) com o Unión La Calera teve as digitais do sistema defensivo rubro-negro. Erros graves, individuais e coletivos, como os vistos no Chile poderão custar muito caro em duelos eliminatórios contra adversários mais qualificados.

A falha dupla de absurda de Bruno Viana no primeiro gol do time chileno vai na conta do zagueiro emprestado pelo Braga. Inexplicável o comportamento dele na jogada, quando teve a chance de afastar o perigo após seu primeiro erro e voltou a perder a bola. Impossível entender o que pretendia fazer.

Já o segundo gol vai para a coleção de tentos sofridos pelo Flamengo em jogadas aéreas, principalmente em bola parada. Nos três jogos que fez como visitante na Libertadores, cruzamentos dos oponentes foram parar nas redes do campeão brasileiro. E aí vai na conta dos atletas e, evidentemente, do treinador.

Rogério Ceni precisa resolver com urgência essa enorme deficiência de sua equipe. Sob o risco de acabar eliminado quando o mata-mata chegar. As falhas que geraram os dois gols do Unión La Calera pautaram o jogo, forçando a equipe brasileira a jogar praticamente todo o tempo na busca pelo resultado. E o time chileno se fechou como nunca.

Há quem tente simplificar o problema apontando nomes e "verdades" de cada um. Mas o problema não está em jogadores específicos, exceto em erros como o de Bruno Viana, mas no comportamento do time quando uma bola é cruzada sobre a área rubro-negra. E a solução passa por treinamentos e correção. Algo urgente, urgentíssimo.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL