PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

Palmeiras pega moleza, goleia e segue à espera de desafios maiores com Abel

Abel Ferreira comanda o Palmeiras durante partida contra o Delfín, pela Copa Libertadores: nono jogo do português - Marcello Zambrana/AGIF
Abel Ferreira comanda o Palmeiras durante partida contra o Delfín, pela Copa Libertadores: nono jogo do português Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

02/12/2020 21h08

O técnico português Abel Ferreira completou nove jogos a frente do Palmeiras na goleada sobre o fraquíssimo Delfim na noite desta quarta-feira, em São Paulo. Os 5 a 0 facilmente construídos geraram um placar agregado de 8 a 1, já que no Equador o campeão paulista saiu com 3 a 1 a seu favor. Basta ver os jogos para enxergar pontos positivos após a saída de Vanderlei Luxemburgo.

Até aqui o ex-treinador do PAOK, da Grécia, comandou o time contra Red Bull Bragantino (1 a 0), Vasco (1 a 0), Ceará (3 a 0), Fluminense (2 a 0), Ceará (2 a 2), Goiás (0 a 1), Delfim 3 a 1), Athletico (3 a 0) e novamente o Delfim. Os jogos foram por três diferentes competições e na estreia a classificação estava encaminhada após vitória em Bragança Paulista com Andrey Lopes, o Cebola.

Os adversários não foram dos mais complicados. A partida mais difícil? Diante do Fluminense, especialmente pelo primeiro tempo. Mas a sorte de Abel ao encontrar uma sequência não muito complicada vem sendo bem aproveitada. O time vai se ajustando e vencendo, além de ter superado o surto de Covid-19, que pesou na única derrota com o treinador, para o Goiás.

Aos poucos os palmeirenses vão arrumando a casa, o time, após longos dez meses desperdiçados. E aguardam os desafios mais complexos, tentando aprimorar a equipe até eles chegarem. Sábado o rival será mais difícil, o Santos, pelo Campeonato Brasileiro. Outros duelos complicados não deverão vir antes de 2021, quando Abel poderá ter sua equipa no ponto.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL