PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Mauro Cezar Pereira


'Ricos", Flamengo e Palmeiras começam na Libertadores em estágios distintos

Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

03/03/2020 19h15

Os dois elencos mais caros, os clubes que mais faturam e há algumas temporadas têm maior poder de investimento: Palmeiras e Flamengo estreiam na Copa Libertadores nesta quarta-feira. Mas vivem momentos distintos. Enquanto os rubro-negros se solidificam com o mais bem jogado futebol do Brasil, além de cinco troféus ganhos entre novembro e fevereiro, os alviverdes buscam uma nova identidade de jogo.

Jorge Jesus ganhou reforços importantes no começo de 2020 e as perspectivas de sua equipe cresceram. Com a esperada evolução do jogo coletivo somado aos valores individuais com os quais pode contar, a óbvia expectativa é de que o português aprimore ainda mais seu time, tornando-o mais poderoso. Não por acaso é considerado, por muitos, o adversário a ser batido no certame internacional.

Se o técnico do Flamengo é ídolo, o do Palmeiras foi e tenta voltar a ter tal status com os torcedores de seu velho/novo clube. O surpreendente retorno de Vanderlei Luxemburgo ao Palestra foi pautado pelo discurso da mudança na forma de atuar. Um jogo mais "propositivo", como se diz por aí. Entre ser reativo e proativo, o treinador destacava, ainda em dezembro, a intenção de investir na "proatividade".

Contudo, se no Flamengo Jesus segue avançando e dando sinais de que sua equipe será mais forte, no Palmeiras Luxa ainda não convenceu, especialmente nos confrontos contra times de Série A nacional pelo Campeonato Paulista. Foram dois empates sem gols com São Paulo e Santos, além da derrota para o Red Bull Bragantino por 2 a 1, na pior exibição palmeirense em 2020 até o momento.

Na Libertadores, Luxemburgo terá o caminho facilitado pelo grupo mais fácil no qual seu time caiu. A estreia será fora de casa, contra o Tigre, que mesmo rebaixado à segunda divisão argentina, que disputa, está na competição internacional por ter conquistado, surpreendentemente, a Copa da Superliga. Já o Flamengo encara o Junior, em Barranquilla, Colômbia, em sua primeira aparição.

A caminhada do Palmeiras rumo ao nível sonhado parece mais longa, apesar do aparente atalho criado pelo nível de seus adversários (também estão no grupo o Bolívar e o Guaraní do Paraguai, que eliminou o Corinthians na primeira fase do torneio). Os rubro-negros encararão, ainda, os equatorianos Independiente Del Valle, que bateram na Recopa há seis dias, e o Barcelona de Guayaquil.

Mauro Cezar Pereira