PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Marcel Rizzo


CBF quer que os Estaduais terminem, mas o Brasileiro pode virar mata-mata?

Rogério Caboclo, presidente da CBF, quer que os Campeonatos Estaduais terminem. Mas e o Brasileiro? - Lucas Figueiredo/CBF
Rogério Caboclo, presidente da CBF, quer que os Campeonatos Estaduais terminem. Mas e o Brasileiro? Imagem: Lucas Figueiredo/CBF
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

21/03/2020 04h00

Classificação e Jogos

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) prometeu a presidentes de federações fazer de tudo para que os Estaduais terminem. Hoje as principais competições de futebol do país e do continente estão paralisadas por causa do surto do novo coronavírus, não há data para retorno e há dúvidas de como ficarão o Brasileiro e a Libertadores com tudo isso. Veja as possibilidades que estão na mesa.

O Campeonato Brasileiro vai virar mata-mata?
A CBF não quer, mas a data da retomada dos jogos será fundamental para definir estratégia, inclusive o que se fazer com o Campeonato Brasileiro. Não está descartado encurtá-lo alterando o regulamento.

A CBF, porém, não gostaria de uma mudança radical como ser obrigada a fazer uma fase final com jogos eliminatórios, o mata-mata, como existia até 2002 antes da fórmula de pontos corridos ser adotada. Pode, no entanto, ser o único caminho possível e isso foi levantado em entrevista ao Globo Esporte pela presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michelle Ramalho, após encontro com a direção da CBF, no Rio no começo da semana — quando, por sinal, já era aconselhado pelo governo evitar contato entre muitas pessoas.

E o Brasileiro pode acabar só em 2021?
Os clubes é que definirão o que será feito caso de fato seja necessária uma mudança no regulamento. A possibilidade de estender os confrontos por dezembro e até 2021 não está fora de cogitação, mas é considerada problemática por na visão da cartolagem transformar o calendário brasileiro em uma bola de neve, jogando para frente férias dos atletas, início dos Estaduais do ano que vem e, consequentemente, todo o resto também.

Os Estaduais podem não terminar?
Se o futebol voltar em abril seria possível fazer ajustes para que os Estaduais sejam concluídos sem mexer no Brasileiro. Mas ninguém acredita que isso aconteça já que a previsão dos especialistas é que a Covid-19 deva estar crescendo bem nesta época no Brasil. A paralisação estendida para maio ou junho já necessitaria alterações no Brasileiro, caso de fato os Estaduais tenham datas mantidas para serem finalizados.

Em São Paulo, por exemplo, ainda faltam seis rodadas: duas da primeira fase, de grupos, uma de quartas, outra de semi e duas das finais. O ajuste possível aqui para diminuir datas seria fazer a decisão também em jogo único.

E a Libertadores, como fica?
Na Libertadores, a Conmebol já suspendeu três rodadas entre março e abril e a versão mais otimista de retorno é para a semana de 6 de maio, mas poucos creem na confederação sul-americana que isso ocorra.

Já se fala em junho, quando seriam usadas datas da Copa América que foi adiada para 2021. Em conversa com autoridades do Rio, a cúpula da Conmebol avisou que trabalha com a final única da competição, que será no Maracanã, mantida para 21 de novembro de 2020.

Marcel Rizzo