Topo

Esporte


Em ascensão, Palmeiras resiste até o fim e vence Bahia com gol de Mazinho

Do UOL, em São Paulo

02/11/2014 21h57

Depois de permitir empates no fim contra Cruzeiro e Corinthians, o Palmeiras se segurou diante do Bahia para voltar a vencer neste domingo. Na Arena Fonte Nova, o gol de Mazinho e as defesas de Fernando Prass asseguraram triunfo por 1 a 0 que ratifica o crescimento da equipe com Dorival Júnior no comando. 

Essa foi a quarta vitória do Palmeiras nos últimos sete jogos, período em que a equipe foi derrotada apenas pelo Santos.

Com o triunfo conquistado em Salvador, o Palmeiras amplia agora sua distância para a zona de rebaixamento. São 39 pontos, com cinco de vantagem para os últimos quatro colocados. Para o Bahia, penúltimo colocado, a situação é cada dia mais delicada. O time de Gilson Kleina, que reviu o Palmeiras, tem 31 pontos. 

Fases do jogo. Dominada pelo Bahia, a primeira etapa acabaria com vantagem do Palmeiras graças a Fernando Prass, que pegou tudo lá atrás, e a Valdívia e Mazinho, que resolveram na frente. Desde o início, ciente de que precisava vencer dentro de casa para tentar reagir no Brasileiro, o time de Kleina foi ao ataque. 

Além de segurar finalizações de Rafael Miranda e Emanuel, o goleiro palmeirense contou com a sorte em bola de Kieza que parou na trave. Em uma escapada, o Palmeiras conseguiu ser mais objetivo que o Bahia. Mazinho recebeu passe precioso de Valdívia e chutou com força para vencer Marcelo Lomba. 

Nervoso pela situação na tabela e pelo gol palmeirense no momento em que dominava, o time baiano não conseguiu mais jogar como no início da partida. Enquanto o argentino Mouche desperdiçava contragolpes e espaços generosos na frente, o Bahia também tinha dificuldades de chegar na frente.

Aos 31min, houve o lance que deixaria os mandantes ainda mais nervosos. Em disputa na área, Kieza levou a melhor sobre o zagueiro Nathan, que caído prendeu a bola com os braços. Os jogadores do Bahia se revoltaram com a não marcação do pênalti por parte da árbitro gaúcho Leandro Vuaden. Foi a última chance clara de gol para o time da casa.

O melhor. Fernando Prass. No dia de atuação sólida do Palmeiras, ninguém transmitiu mais segurança à equipe. O goleiro foi firme sempre que acionado. 

O pior. Potita. Titular do ataque baiano, errou quase todas as tentativas e foi sacado no intervalo. 

Chave do jogo. A diferença mental entre as duas equipes. Mesmo vindo de dois jogos em que sofreu empate no fim, o Palmeiras se mostrou mais frio para administrar a pressão e atacar de forma objetiva. Graças ao desequilíbrio do Bahia, poderia até ter marcado mais gols. 

Toque dos técnicos. Sem Henrique e Juninho, Dorival Júnior fez escolhas que deram efeito. Apesar de alguns erros na frente, Mouche levou perigo ao Bahia. Renato, pelo meio, segurou bem a pressão. 

Para lembrar: O Bahia não vence há sete partidas, sendo seis pelo Campeonato Brasileiro. No período, marcou apenas três gols e ficou às portas da Série B. 

O argentino Mouche, que marcou contra o Cruzeiro recentemente, jogou porque os dois principais atacantes do Palmeiras não estavam à disposição. Henrique, suspenso, e Cristaldo, machucado. 

FICHA TÉCNICA

Bahia x Palmeiras
Campeonato Brasileiro – 32ª rodada
Data e horário:
02/11/2014, às 20h (de Brasília)
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves (Aspirante Fifa-RS) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Gol: Mazinho, aos 35min do primeiro tempo
Cartões amarelos: Guilherme Santos, Emanuel Biancuchi, Kieza, Wesley, Marcelo Oliveira e Allione

Bahia
Marcelo Lomba; Roniery. Lucas Fonseca, Adaílton e Guilherme Santos; Rafael Miranda (Rafinha) e Uelliton; Lincoln (Marcos Aurélio) e Emanuel Biancuchi; Kieza e Potita (Maxi Biancuchi).
Treinador: Gilson Kleina

Palmeiras
Fernando Prass; João Pedro, Nathan, Tobio e Victor Luís; Marcelo Oliveira, Renato (Washington) e Wesley; Valdívia; Mazinho (Allione) e Mouche (Diogo).
Treinador: Dorival Júnior

Esporte