PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Disney vai mostrar Roland Garros e Wimbledon e completa 'grand slam da TV'

Getty Images
Imagem: Getty Images
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

27/04/2022 04h00

Os canais Disney (ESPN, Fox e Star+) terão os direitos de transmissão de Roland Garros e Wimbledon este ano, completando o "grand slam da TV", já que os outros dois maiores torneios do circuito, Australian Open e US Open, já vinham sendo exibidos pelos canais ESPN desde antes da compra do canal de esportes pela empresa do Mickey.

As transmissões de Roland Garros, inclusive, já estão previstas no site da ESPN, com horários e datas confirmados, assim como o programa diário Pelas Quadras, que repassa o que aconteceu durante a rodada.

Com isso, o slam do saibro volta para o canal que mostrava o torneio nos tempos de Gustavo Kuerten. Em 2013, a Band tirou os direitos da ESPN e passou a mostrar o evento francês até o ano passado, quando compartilhou as transmissões com o SporTV - o Grupo Globo adquiriu os direitos até 2023. Este ano, a Band sai de cena, com a Disney entrando em seu lugar, enquanto o grupo Globo segue mostrando o torneio simultaneamente.

Apesar dos direitos compartilhados, o grupo Disney sai ganhando porque além de exibir jogos na ESPN, pode oferecer o torneio no Star+, serviço de streaming que disponibiliza transmissões simultâneas de todas as quadras (como já aconteceu no US Open do ano passado e no Australian Open deste ano). Enquanto isso, a Globo vai separar apenas um dos canais SporTV para suas transmissões.

Wimbledon, por sua vez, chega para a Disney como uma antecipação. O grupo americano já havia adquirido os direitos do slam da grama, mas apenas a partir de 2024. Com a saída da Band, que compartilhou o torneio com o SporTV no ano passado, a Disney ganha mais dois anos de Wimbledon e vai mostrar o evento em 2022 e 2023 junto com o canal do grupo Globo. A partir de 2024, o mais tradicional dos torneios será exclusivo da Disney.

Coisas que eu acho que acho:

- Para deixar claro como ficaram as coisas agora. A Disney tem todos os slams mais o ATP Finals e o WTA Finals, todos os Masters/WTA 1000 e quase todos ATPs/WTAs 500. O SporTV mostra três slams (Roland Garros, Wimbledon e US Open) e um ATP 500: o Rio Open.

- Para o SporTV, é muito ruim que a Disney ocupe a posição que era da Band em Roland Garros e Wimbledon até o ano passado. A concorrência é mais forte. Além de dar ao espectador a opção de ver todas as quadras (ainda que o Star+ seja um serviço pago), a Disney tem uma equipe de narradores e comentaristas - encabeçada pelos excelentes Fernando Nardini e Fernando Meligeni - muito superior à da Band.

- Som de hoje no meu Kuba Disco: Paracetamol Blues, dos ingleses da banda Sea Girls.

Quer saber mais? Conheça o programa de financiamento coletivo do Saque e Voleio e torne-se um apoiador. Com pelo menos R$ 15 mensais, apoiadores têm acesso a conteúdo exclusivo (newsletter, podcast e Saque e Voleio TV), lives restritas a apoiadores, além de ingresso em grupo de bate-papo no Telegram, participação no Circuito dos Palpitões e promoções imperdíveis como esta.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.

.