PUBLICIDADE
Topo

David Silva merecia casa cheia na despedida da Premier League

David Silva marca um dos gols da goleada de 5 x 0 do Manchester City sobre o Burnley - GI1
David Silva marca um dos gols da goleada de 5 x 0 do Manchester City sobre o Burnley Imagem: GI1
Rafael Oliveira

Comentarista de futebol com passagens por Esporte Interativo e ESPN. Atualmente no Dazn. Sempre interessado em informações e análises do jogo em qualquer parte do planeta.

Colunista do Uol

26/07/2020 14h55

A última rodada da Premier League tinha muito em jogo. Definição do rebaixamento, vagas para competições europeias, marcas individuais... Mas tinha também uma importante despedida.

David Silva ainda não revelou o que fará na sequência, mas jogou sua última partida de Campeonato Inglês pelo Manchester City. Chega ao fim uma brilhante história.

De uma das maiores referências técnicas da Premier League na última década, além de um dos maiores símbolos da mudança de patamar do clube. Junto com Aguero, Yaya Touré e Kompany, o meia espanhol transformou a era moderna do City.

Um jogador diferente das características mais tradicionais do meia aberto na Inglaterra. David Silva não era o ponta veloz e driblador que buscava a linha de fundo constantemente. Pelo contrário. Tratava de centralizar, ditar o ritmo e manter a posse de bola.

Assim, ocupou diversos espaços e funções com os treinadores que teve. Roberto Mancini, Manuel Pellegrini e Pep Guardiola. A capacidade técnica nos passes e a leitura tática para encontrar espaços são algumas das virtudes de um jogador muito acima da média, ainda que não tão midiático.

Nunca foi tido como a principal estrela. Discretamente, resolveu jogos, elevou o nível do time e manteve regularidade por muitos anos.

David Silva merecia um estádio lotado aplaudindo de pé os serviços prestados pelo clube. Infelizmente, algo impossível no momento atual. A Premier League dá adeus a um de seus melhores e maiores jogadores na década.