PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Pole Position


Hamilton domina e faz a 90ª pole position da carreira no GP da Hungria

Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

18/07/2020 11h00

Lewis Hamilton não teve trabalho algum e dominou o treino classificatório para o GP da Hungria, que acontece amanhã (19), às 10h10 (horário de Brasília). Com 1:13:447, o britânico cravou a pole com facilidade com direito a recorde da pista nos segundos finais. Além de largar na frente, Hamilton ainda chegou a 90 pole positions na carreira e igualou mais um número do supercampeão Michael Schumacher, com sete poles na Hungria. O companheiro de Mercedes, Valtteri Bottas, largará em segundo.

"Eu tenho que me beliscar. Tenho muitas pessoas para agradecer. Valtteri nunca facilita as coisas", brincou Lewis Hamilton após garantir a primeira colocação no grid de largada.

Líder do Mundial com seis pontos de vantagem sobre Hamilton, Bottas ainda espera uma grande disputa pela liderança na largada. "Vai ser uma espécie de corrida de arrancada até a primeira curva. E estou ansioso por isso."

Os dois carros da Mercedes e as duas Racing Point vão largar com uma tática diferente do restante do top 10, com os pneus médios, em teoria mais resistentes que os macios. Isso só foi possível porque chamou muito a atenção a excelente performance dos carros equipados com motores Mercedes: além do time de fábrica, Racing Point e Williams (que passaram com ambos os carros para o Q2 e terão Russell em um ótimo 12º lugar no grid). Lance Stroll, da Racing Point, fecha a terceira colocação do grid.

A classificação foi marcada pelo risco constante de chuva, com nuvens carregadas sobre a pista e a meteorologia apontando 90% de chance de chover durante a sessão, e também há chances de chover na corrida, que tem largada às 10h10, pelo horário de Brasília.

Grid de largada do GP da Hungria:

1º Lewis Hamilton (GBR) - Mercedes - 1min13s447
2º Valtteri Bottas (FIN) - Mercedes - 1min13s554
3º Lance Stroll (CAN) - Racing Point - 1min14s377
4º Sergio Perez (MEX) - Racing Point - 1min14s545
5º Sebastian Vettel (ALE) - Ferrari - 1min14s774
6º Charles Leclerc (MON) - Ferrari - 1min14s817
7º Max Verstappen (HOL) - Red Bull - 1min14s849
8º Lando Norris (GBR) - McLaren - 1min14s966
9º Carlos Sainz (ESP) - McLaren - 1min15s027
10º Pierre Gasly (FRA) - AlphaTauri - sem tempo

Q3

A expectativa sobre as condições do tempo continuou até o último minuto do Q3. Com o tempo fechado, a chuva fininha começou a cair já no final do Q2 no circuito de Hungaroring. A água não chegou a atrapalhar Hamilton na busca pela pole, mas foi suficiente para que o inglês comunicasse sua equipe sobre a condição no final do treino.

Os pilotos entraram para o Q3 jogando tudo em busca das melhores posições no grid de largada. Lewis Hamilton iniciou a fase decisiva logo com um recorde da pista fazendo 1:13:613. O tempo foi quebrado por ele mesmo no final do treino, quando cravou o número final 1:13:447. A segunda colocação ficou com o companheiro de Mercedes, Bottas. Os dois praticamente não foram incomodados nas primeiras colocações.

Se os dois da Mercedes não foram incomodados por equipes rivais nas primeiras colocações, eles brigaram bastante entre si para definir quem largaria em primeiro no GP da Hungria com disputa apertada na primeira curva. "Estávamos em um nível muito forte. Minhas voltas foram boas e Lewis fez um ótimo trabalho. Será uma corrida de arrancada entre nós na curva 1, mal posso esperar por isso", ressaltou Bottas após o treino classificatório.

Q2

A Mercedes mostrou toda sua vantagem na segunda parte da classificação, quando Hamilton fez um tempo oito décimos mais veloz que Max Verstappen mesmo usando o composto médio ao invés do macio, que seria pelo menos em teoria pelo menos 0s4 mais rápido, usado pelo holandês. O piloto da Red Bull, por sua vez, estava reclamando da unidade de potência da Honda. "Meu motor está uma bagunça!", disse, enquanto outro piloto que também usa a unidade de potência da Honda, Pierre Gasly, era outro que convivia com problemas. Mas o francês conseguiu, ainda assim, fazer uma volta boa o suficiente para colocar a Alpha Tauri em um ótimo top 10.

A opção dos pneus médios por parte da Mercedes fazia sentido: os pilotos que vão ao Q3 são obrigados a largar com os pneus com que fizeram a melhor volta no Q2, então a tática era largar com estes compostos mais resistentes. A Racing Point fez o mesmo com seus dois pilotos, e os quatro conseguiram avançar.

O mesmo não aconteceu com Alex Albon, da Red Bull. O tailandês reclamou com seu engenheiro por tê-lo colocado no meio do tráfego. Sem conseguir preparar bem os pneus, ele teve muita dificuldade nas primeiras curvas em sua volta rápida no final do Q2 e ficou pelo caminho. Albon larga em 13º. As Renault também foram eliminadas no Q2, com Ricciardo em 11º e Ocon em 14º. E Russell conseguiu um ótimo 12º lugar com a Williams. Latifi larga em 15º.

Os eliminados:
11º Daniel Ricciardo (AUS) - Renault - 1min15s661
12º George Russell (GBR) - Williams - 1min15s698
13º Alex Albon (TAI) - Red Bull - 1min15s715
14º Esteban Ocon (FRA) - Renault - 1min15s742
15º Nicholas Latifi (CAN) - Williams - 1min16s544

Q1

George Russel - Pool/2020 Pool - Pool/2020 Pool
George Russel, da Williams, foi o destaque do Q1
Imagem: Pool/2020 Pool

A primeira parte da classificação foi bastante movimentada devido ao risco iminente de chuva, e o tráfego atrapalhou alguns pilotos no traçado sinuoso de Hungaroring. Era a chance que George Russell precisava para colocar a Williams em um inimaginável nono lugar ao final da primeira parte da classificação, passando pela segunda vez seguida ao Q2. Até mesmo seu companheiro, Nicholas Latifi, estreante que vem cometendo muitos erros, passou para a segunda parte da classificação ao ser cinco centésimos mais rápido que Kevin Magnussen.

O dinamarquês da Haas foi o primeiro dos eliminados, junto de Daniil Kvyat, da AlphaTauri, a supresa negativa do Q1, Romain Grosjean, também da Haas, e os dois pilotos da Alfa Romeo, Antonio Giovinazzi e Kimi Raikkonen vão fechar a última fila do grid.

Os eliminados:
16º Kevin Magnussen (DIN) - Haas - 1min16s152
17º Daniil Kvyat (RUS) - AlphaTauri - 1min16s204
18º Romain Grosjean (FRA) - Haas - 1min16s407
19º Antonio Giovinazzi (ITA) - Alfa Romeo - 1min16s506
20º Kimi Raikkonen (FIN) - Alfa Romeo - 1min16s614

Pole Position