PUBLICIDADE
Topo

Lei em Campo

Cruzeiro reduz mais de R$ 200 milhões de dívida com acordos

Lei em Campo

Andrei Kampff é jornalista formado pela PUC-RS e advogado pela UFRGS-RS. Pós graduado e mestrando em Direito Desportivo, é conselheiro do Instituto Ibero Americano de Direito Desportivo e criador do portal Lei em Campo. Trabalha com esporte há 25 anos, tendo participado dos principais eventos esportivos do mundo e viajado por 32 países atrás de histórias espetaculares. É autor do livro "#Prass38".

27/11/2020 12h00

Por Gabriel Coccetrone

Buscando arrumar as finanças, o Cruzeiro anunciou que conseguiu reduzir mais de R$ 200 milhões de dívidas após acertar acordos com o atacante Fred, na semana passada, e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), em outubro. Assim, o débito do clube que era calculado em R$ 950 milhões, hoje, está abaixo dos R$ 750 milhões. A informação foi divulgada em primeira mão pelo site MG Superesportes.

No caso de Fred, o Cruzeiro pagará cerca de R$ 25 milhões a partir de janeiro de 2022, sendo 61 parcelas de R$ 400 mil e 12 de R$ 600 mil. O departamento jurídico do clube comemorou o acordo, uma vez que houve uma economia de R$ 53 milhões, visto que o jogador havia pedido inicialmente um valor próximo aos R$ 78 milhões.

No entanto, a maior vitória é no caso envolvendo a Fazenda Nacional, onde a Raposa conseguiu diminuir 45,59% do passivo. Em números, a dívida com a PGFN caiu de R$ 334 milhões para R$ 178,4 milhões, que poderá ser pago em até 145 vezes (12 anos), com as 12 primeiras parcelas no valor de R$ 350 mil. O clube também conseguiu suspender 33 processos e recursos judiciais de bloqueios de bens e receitas.

Além desses dois casos, o Cruzeiro também conseguiu por um ponto final em diferentes processos que corriam na Fifa, são eles: Willian Bigode (R$ 9,2 milhões), Paulo Bento (R$ 460 mil), Ramón Ábila (R$ 750 mil), Caicedo (R$ 12,6 milhões), Pedro Rocha (R$ 3 milhões), Rafael Sobis (R$ 17 milhões), Gonzalo Latorre (R$ 18,5 milhões). Somado, os processos ultrapassam os R$ 40 milhões.

Nos próximos meses o clube pretende fazer um balanço de todas as pendências judiciais envolvendo ex-jogadores e funcionários para estipular um valor mensal que será destinado exclusivamente para encerrar essas ações.

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL