PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Holanda e Croácia respiram após rodada das eliminatórias europeias

Luuk de Jong comemora gol da Holanda contra Gibraltar pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 - ANP Sport via Getty Images
Luuk de Jong comemora gol da Holanda contra Gibraltar pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 Imagem: ANP Sport via Getty Images
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

30/03/2021 19h27

Depois de um início claudicante, Holanda e Croácia ganharam um respiro nesta terça-feira, na terceira de três rodadas em menos de uma semana pelas eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2022.

A Croácia, vice-campeã do mundo, está em processo de troca de gerações e tem um grupo complicado. Assim como a Holanda, que fracassou nas últimas eliminatórias (para a Copa de 18).

Os holandeses fizeram 7 a 0 em Gibraltar hoje, uma das seleções mais fracas do continente (gols de Depay, que fez dois, Berghuis, De Jong, Wijnaldum, Malen e Van de Beek). Era obrigação golear, mas é sempre importante cumprir a obrigação. O melhor mesmo foram os outros resultados do grupo G. A Turquia tropeçou inexplicavelmente contra a fraquíssima Letônia, em Istambul. Vencia por 3 a 1, mas levou dois gols e acabou empatando.

Na semana passada, a Turquia fez 4 a 2 na Holanda e, na sequência, ganhou por 3 a 0 da Noruega. O jogo desta terça era, no papel, o mais fácil para os turcos, que poderiam chegar a nove pontos e completar uma semana perfeita.

Outra seleção do grupo que tinha 100%, Montenegro, perdeu para a Noruega por 1 a 0. E, assim, a chave ficou embolada. A Turquia tem sete pontos, Holanda, Montenegro e Noruega estão com seis. As próximas três rodadas estão marcadas para setembro e, logo de cara, serão dois confrontos diretos: Noruega x Holanda e Turquia x Montenegro. São quase seis meses até lá, é capaz que já haja público nestes estádios. No meio tempo, a Holanda jogará a Euro, enquanto as outras três não se classificaram.

O que parecia estar negro para a Holanda deu uma alaranjada com a rodada desta terça e o improvável tropeço turco. Sempre lembrando que o primeiro do grupo vai para a Copa e o segundo terá de jogar a vida na repescagem.

O outro grupo embolado é o H, que, após três rodadas, tem Croácia e Rússia com seis pontos, Eslováquia com cinco, Chipre com quatro e Eslovênia com três.

Nas duas primeiras rodadas, a Croácia havia perdido da Eslovênia e vencido o Chipre por um magro 1 a 0. Os russos, com duas vitórias, podiam disparar no grupo. Mas os resultados desta terça foram amplamente favoráveis ao time de Modric.

A Croácia foi ao intervalo empatando sem gols com Malta, mas desencantou no segundo tempo e venceu com gols de Perisic, Modric e Brekalo. E viu dois resultados surpreendentes nos outros jogos. Chipre ganhou da Eslovênia por 1 a 0. E a Eslováquia, que não havia passado de empates contra Malta e Chipre, aprontou para cima da Rússia.

Skriniar, zagueiro da Inter de Milão, abriu o placar para os eslovacos. O lateral brasileiro Mário Fernandes empatou para a Rússia, mas Mak deu a vitória ao time da casa. Está tudo embolado e este grupo pode ir para qualquer lado. Em setembro, a primeira das três rodadas tem logo de cara um crucial Rússia x Croácia.

CLIQUE AQUI PARA VER A TABELA COMPLETA DAS ELIMINATÓRIAS EUROPEIAS.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL