PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Espanha repete França e começa decepcionando nas eliminatórias europeias

Espanha e Grécia se enfrentam pelas Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo do Catar - Pablo Morano/BSR Agency/Getty Images
Espanha e Grécia se enfrentam pelas Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo do Catar Imagem: Pablo Morano/BSR Agency/Getty Images
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

25/03/2021 18h52

A França foi a decepção da quarta, e a Espanha repetiu na quinta. Ficou só no 1 a 1 contra a Grécia, em sua estreia nas eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2022.

Foi um jogo que lembrou aqueles do Barcelona no começo da temporada, quando não tinha Messi e nem inspiração. Bola para cá, bola para lá, bola para cá, bola para lá e nada. Em um boa enfiada, Morata fez 1 a 0 no primeiro - é osso duro depender de Morata para ser campeã da Europa ou do mundo. No segundo tempo, o técnico Luís Enrique decidiu poupar Sérgio Ramos. Entrou Iñigo Martínez, que fez um pênalti estúpido e permitiu à Grécia chegar ao empate.

Os gregos mal passaram para o campo de ataque. Mas a Espanha criou pouquíssimo. Faltaram ideais e criatividade, mesmo com as entradas de Pedri e Thiago Alcântara. No fim, o 1 a 1 ficou até justo - pela inoperância de um e pela competência defensiva do outro.

A Suécia passa à frente no grupo, já que venceu a Geórgia por uma magro 1 a 0, com assistência de Ibrahimovic. Os confrontos entre espanhóis e suecos serão realizados só em setembro. O primeiro da chave vai para a Copa, o segundo disputa repescagem.

Na abertura das eliminatórias, ontem, a França havia empatado de forma parecida em Paris. Fez 1 a 0 na Ucrânia, parecia ter o jogo controlado, tomou um gol de empate bobo (contra de Kimpembé) e depois ficou rodando bola, sem conseguir furar a defesa adversária. Uma certa preguiça até, convenhamos.

Além de Espanha e França, a favorita que decepcionou ontem foi a Holanda, que levou 4 a 2 da Turquia. Portugal e Bélgica ganharam na quarta-feira.

E, nesta quinta, Itália, Inglaterra e Alemanha fizeram a lição de casa. A Itália bateu a Irlanda do Norte por 2 a 0 e segue sem perder desde setembro de 2018. A Inglaterra goleou a fraca San Marino por 5 a 0. E a Alemanha não teve problemas para bater a Islândia por 3 a 0. Sem surpresas.

No sábado, pela segunda rodada, os jogos mais interessantes são Sérvia x Portugal, República Tcheca x Bélgica e Noruega, de Haaland, contra a Turquia.

No domingo, Espanha e França precisam reagir. Os espanhóis jogam na Geórgia, enquanto os franceses viajam ao Cazaquistão. Obrigação de vitória para ambas, senão os fantasmas podem começar a aparecer.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL