PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Melhor do mundo, Bayern iguala 'sextete' do Barcelona de Guardiola

Jogadores do Bayern comemoram gol do título Mundial - MOHAMMED DABBOUS/REUTERS
Jogadores do Bayern comemoram gol do título Mundial Imagem: MOHAMMED DABBOUS/REUTERS
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

11/02/2021 16h58

O Bayern de Munique concluiu nesta quinta-feira, em Doha, a temporada perfeita. Em 2020, ganhou Campeonato Alemão, Copa da Alemanha, Liga dos Campeões, Supercopa da Europa e Supercopa da Alemanha. Em 2021, conquistou o Mundial de Clubes 2020 (disputado no ano seguinte por causa da pandemia).

Com esta licença poética da aberração temporal gerada pelo coronavírus, podemos considerar que o Bayern igualou o feito conquistado pelo Barcelona de Guardiola, em 2009. O ano do "sextete", dos seis títulos no mesmo ano natural. É verdade que são duas temporadas diferentes e não é assim que os europeus costumam medir o sucesso de um "ano", mas aquele Barcelona gerou esta medida.

O único outro europeu a ganhar tudo em um ano natural foi o Ajax-1972, de Cruyff. Fez a tríplice coroa e, no fim do ano, ganhou a Copa Intercontinental contra o Independiente (ARG) - não existiam ainda as Supercopas, nem da Europa nem da Holanda. Portanto, o ano perfeito do Ajax teve quatro taças.

Assim como o Barça, em 2009, o Bayern fez um Mundial de Clubes protocolar e que teve sua carga de susto. Aquele time de Guardiola precisou de prorrogação para ganhar do Estudiantes, de virada. O Bayern de Munique fez 1 a 0 no Tigres, do México, com um gol irregular de Pavard - a bola havia tocado no braço de Lewandowski antes.

São mundos diferentes, poucos times sul-americanos ou de outro lugar, como o Tigres, conseguem impor alguma dificuldade aos europeus. O Bayern jogou para o gasto, assim como tinha feito antes, na semifinal, contra o Al-Ahly.

Podemos comparar este Bayern ao Barcelona de Guardiola?

Na minha opinião, o melhor Barça de Guardiola foi o de 2011 - não teve a temporada perfeita porque perdeu a final da Copa do Rei para o Real Madrid, de Mourinho e Cristiano Ronaldo. O Barça de 2009 era espetacular, mas não passava o carro, como fez o Bayern ao longo de 2020. Basta lembrar que a semifinal daquela Champions de 2009 teve uma classificação muito polêmica do Barça em Stamford Bridge, contra o Chelsea.

Este Bayern não ficará marcado pelo 1 a 0 sobre o Tigres e, sim, pelos 8 a 2 sobre o Barcelona, nas quartas de final da Champions, na bolha de Lisboa. Uma máquina que tem o melhor goleiro do mundo (Neuer), jogadores que são melhores do mundo em todas as posições e que tem Lewandowski, o Bola de Ouro.

O título mundial é protocolar. Aumenta e coloca um ponto de exclamação na histórica campanha desde a chegada de Hansi Flick ao comando técnico. O Bayern é o melhor time do mundo e segue sendo o time a ser batido no que vem pela frente - em semanas, a Champions recomeça, e aí poderemos ter a certeza de ver o melhor Bayern possível em ação.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL