PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

Messi venceu! Bartomeu se toca e salta da presidência para o esquecimento

Josep Maria Bartomeu renunciou ao cargo de presidente do Barcelona - Foto: F.C. Barcelona
Josep Maria Bartomeu renunciou ao cargo de presidente do Barcelona Imagem: Foto: F.C. Barcelona
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

27/10/2020 17h21

O presidente que deixou Messi sair. Ou... O presidente que quase deixou Messi sair. É uma diferença e tanto, não? Talvez Josep Maria Bartomeu tenha se tocado disso. É melhor ficar no "quase" no que ficar na história.

O pior presidente que o Barcelona já teve - ou quase isso - saltou do gabinete diretamente para o esquecimento. Renunciou nesta terça, um dia depois de dizer que não o faria de jeito nenhum. A possibilidade de Messi sair do Barça diminui bastante, logicamente (em janeiro, ele já pode assinar um pré-contrato com qualquer outro clube).

O argentino vai esperar os próximos passos para decidir se continua no clube até o fim ou se mantém a vontade de se mandar. Agora cabe aos sócios votar melhor, escolher melhor e torcer para que o clube volte a trabalhar melhor no futebol. Bartomeu se vai, mas a bagunça continua.

Já deveria ter renunciado faz um tempão. Um dirigente completamente atropelado pelo tamanho do clube, que caiu de paraquedas no cargo e conseguiu encontrar os apoios para se reeleger. O cara que deixou Neymar ir embora. Que deixou Daniel Alves sair pela porta dos fundos. Que trouxe nomes pequenos como ele para assumir o futebol do clube. Que foi a razão pela qual Xavi não aceitou virar técnico (acontecerá no futuro). O presidente do 8 a 2. E, o principal, o cara que rompeu com Messi, o maior ser humano da história do Barcelona.

Não é legal ver o vestiário ganhar a queda de braço e forçar a queda de quem foi eleito. Mas, nesse caso, não havia como ser diferente. Bartomeu estava sendo o pivô de um caos completo.

Ele ainda teve um último ato, e anunciou isso hoje durante a renúncia: aprovou a participação do Barcelona em uma futura Superliga Europeia de clubes e o formato do futuro Mundial de Clubes. Decisões que deveriam ter sido muito mais sentidas e debatidas.

Com a renúncia, quem assume é Carlos Tusquets, um economista que ficou famoso por ter virado tesoureiro do Barça aos 27 anos de idade e ter feito a ginástica financeira necessária para o clube contratar Diego Maradona, nos anos 80. Ele vai convocar novas eleições.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL