PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Sincerão: Invasão corintiana, o maior 'feito' de uma torcida na história

Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

25/04/2020 17h46

No quadro Sincerão, do UOL Esporte (vídeo acima), a pergunta era: que momento do esporte você queria ter presenciado ao vivo? Eu respondi dois: a invasão corintiana, de 1976, e a final da Copa do Mundo de 1950.

Vi recentemente um documentário sobre a invasão na ESPN Brasil. Muito bom! Muito bem feito, com muitos depoimentos e algumas imagens. Mas, claro, estamos falando de um evento que ocorreu em 1976. Havia pouco material, as pessoas não viviam fotografando e filmando tudo, como fazem hoje em dia.

Como estava a Dutra? E a praia naquele dia? E o lado de fora do Maracanã? Que torcida gritou mais? Onde estava a divisão? Havia tensão ou violência naquelas intersecções entre torcidas? Como foi o fim do jogo, nas ruas em volta do estádio? Onde os corintianos festejaram?

Corinthians - Arquivo/Placar - Arquivo/Placar
Torcedores do Corinthians ocupam parte da arquibancada do Maracanã em duelo com o Fluminense
Imagem: Arquivo/Placar

Por mais que nos contem, este é um evento que eu realmente queria ter visto. No meu ponto de vista, este é o maior fato envolvendo uma torcida na história do futebol - e não só do futebol brasileiro.

Podemos nos lembrar de várias tragédias. De vários deslocamentos para finais, especialmente nos tempos atuais, de globalização, fronteiras abertas, grande estradas, voos baratos e facilidade para viajar. A própria Copa do Brasil já foi a mais bacana da história nesse sentido, com milhares de pessoas vindo de países próximos e lotando estádios. Mas, em 1976....?

Não há registros assim. Nenhuma torcida do mundo fez o que a torcida do Corinthians fez naquele momento de nossa história.

O outro momento, creio, é autoexplicativo. Novamente o Maracanã, mas 26 anos antes da invasão corintiana, 70 anos atrás. Brasil x Uruguai, a final de 50, o Maracanazo.

Nunca vimos as imagens a cores, e mesmo as poucas imagens do jogo em preto e branco são muito pobres. Como entraram 200 mil pessoas no estádio? Quais eram as cores? O que cantavam, falavam, gritavam? Como foi a atuação de Barbosa e o que se falava dele ali na hora? E aqueles andaimes no meio da arquibancada, segurando a marquise? Não morriam de medo, os que estavam ali embaixo?

Sim, eu voltaria a 1950 para assistir a este jogo. Talvez tenha sido o evento mais importante na construção do futebol mais vencedor do planeta. Sem aquela tragédia, o Brasil seria o que foi nas décadas seguintes? O futebol teria se transformado em uma parte tão relevante da nossa sociedade? Será que eu estaria escrevendo sobre isso para viver?

Julio Gomes