PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

São Paulo some, e estaciona conversa por acordo em briga por R$ 30 milhões

Bandeiras e faixas do projeto "Morumbi Raiz" - Divulgação/Torcida Independente
Bandeiras e faixas do projeto "Morumbi Raiz" Imagem: Divulgação/Torcida Independente
Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

26/08/2021 10h00

Com Thiago Braga, colaboração para o UOL

O agente André Cury briga com o São Paulo por R$ 30 milhões na Justiça, em dois processos. As partes tentaram um acordo no mês passado, mas o clube parou de procurar o empresário desde então. Assim, o imbróglio continua.

Segundo apurou a coluna, o time tricolor não realizou novos contatos com Cury, depois de tentativas para se acertarem que chegaram a brecar as execuções que correm nos tribunais de São Paulo. Com o sumiço do clube, o agente deu prosseguimento ao feito.

O desaparecimento do time tricolor no entrevero coincide com o período que o presidente Julio Casares foi contaminado pela Covid-19. De acordo com o clube, é o dirigente que resolve questões do tipo, o que acabou atrasando uma composição amigável com o empresário.

Julio Casares anunciou estar com Covid no fim de julho. No dia seguinte, foi internado por recomendação médica, apesar de apresentar quadro com sintomas leves. Ele já havia tomado as duas doses da vacina, e o encaminhamento ao hospital foi por precaução.

De acordo com o que verificou a coluna, apesar da internação que já dura 26 dias, Casares está melhorando a cada dia. A tendência é que tenha alta na semana que vem.

Enquanto isso, a ação de Cury contra o clube segue no Judiciário. Na semana passada, as advogadas do empresário pediram pela impugnação aos embargos monitórios apresentados pelo São Paulo.

O agente apontou que o São Paulo não nega o recebimento do valor emprestado e comprovado por meio de documentos e ainda confessou não ter quitado nenhuma parcela do contrato de mútuo.

Para os representantes de Cury, beira a má fé o São Paulo alegar nulidade do contrato formalizado por seu próprio jurídico, com papel timbrado do clube e assinado por seus representante.

Em manifestação entregue à Justiça na última segunda (23), Cury afirmou que não tem interesse em audiência de conciliação e por isso pediu o julgamento antecipado do feito.

O agente cobra o pagamento de um empréstimo na compra do atacante Raniel, em 2019. Cury ainda move ação de R$ 10,3 milhões pelas vendas de Paulo Henrique Ganso e Lucas Pratto.