PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Federação leva Corinthians e Palmeiras à Justiça por salários de atletas

Neo Química Arena antes de Corinthians x Inter de Limeira-SP pelo Paulistão 2021 - Marcello Zambrana/AGIF
Neo Química Arena antes de Corinthians x Inter de Limeira-SP pelo Paulistão 2021 Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

09/06/2021 04h00

A FAAP (Federação das Associações de Atletas Profissionais) abriu novos processos contra Corinthians e Palmeiras na Justiça de São Paulo. No total, cobra R$ 460 mil em percentuais salariais dos atletas do clube alvinegro e mais R$ 1,3 milhão da equipe alviverde pelo mesmo motivo.

A equipe de Itaquera ainda é cobrada em mais R$ 210 mil pela venda de Carlos Augusto ao Monza.

A entidade cobra 0,5% do salário pago mensalmente a cada jogador, pagamento previsto por lei. Ela já havia conseguido decisão favorável em primeira instância contra o Corinthians, em abril, por R$ 1,2 milhão, por percentuais salariais aos quais tem direito em períodos distintos.

Porém, nos últimos dias, foi novamente à Justiça contra o time do Parque São Jorge, em dois processos. Quer 0,8% dos 4 milhões de euros (R$ 26,1 milhões) pela transferência de Carlos Augusto ao Monza e mais 0,5% de salários dos atletas pelo período de março de 2020 a janeiro de 2021.

Segundo o blog do Perrone, o Corinthians não havia apresentado contestação em relação à cobrança de R$ 1,2 milhão, fato informado pelo juiz Evandro Carlos de Oliveira em sua decisão. A ausência implicou presunção de veracidade aos fatos narrados pela FAAP.

Com relação ao Palmeiras, a FAAP cobra os percentuais de salários pelo período equivalente a novembro de 2018 e janeiro de 2021. A cobrança totaliza R$ 1,3 milhão.

A entidade já processava o clube em outra ação, essa do começo de 2020, em cerca de R$ 450 mil por percentuais das vendas do meia Moisés para o Shandong Luneng (CHI) e do lateral Luan Cândido ao RB Leipzig (ALE).

Corinthians e Palmeiras foram procurados para comentar os processos, mas não quiseram se manifestar.