PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Caminhos de São Paulo e Atlético-MG são os mais complicados na Libertadores

Jogadores do Racing comemoram gol de Novillo contra o São Paulo no Morumbi - EDUARDO CARMIM/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO
Jogadores do Racing comemoram gol de Novillo contra o São Paulo no Morumbi Imagem: EDUARDO CARMIM/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO
Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

01/06/2021 14h02

O São Paulo terá um caminho complicado se quiser conquistar o tetracampeonato da Copa Libertadores. Além do Racing, que já o superou na fase de grupos em São Paulo - quando ambos atuaram como reservas -, o time brasileiro poderia encarar o Palmeiras nas quartas. Depois, uma hipotética semifinal teria Atlético-MG, Boca Juniors, River Plate ou Argentinos Juniors..

O trajeto pode ser tão complicado quanto o do Galo. Rival do tradicional Boca Juniors, hexacampeão do torneio, nas oitavas, o time mineiro terá pela frente um rival que não vive seu melhor momento, mas dono de enorme tradição na competição, que conquistou seis vezes. E, se passar, terá duelo duro possivelmente diante River Plate, adversário do Argentinos Juniors.

O Palmeiras, por sua vez, só teria vida mais difícil nas quartas de final, desde que não complique partida em que é considerado amplamente favorito diante da Universidad Católica. Dos brasileiros, é o time que pegou o duelo mais tranquilo nesta etapa da competição. Mas, na fase seguinte, pode ser a hora do temido clássico paulista.

Vale lembrar que o Palmeiras já foi eliminado três vezes pelo São Paulo na Libertadores. E acabou de ser derrotado pelo rival na decisão do Campeonato Paulista. Ou, claro, poderia enfrentar outro adversário duríssimo, o Racing, que foi líder do grupo do time tricolor e está na final da Copa da Liga Argentina.

Do outro lado da chave, o Flamengo enfrenta o Defensa y Justicia, que complicou duelos contra o Palmeiras neste ano. Mas deve avançar e ter pela frente o Internacional. Os gaúchos encaram o Olimpia, que apesar de ter levado 6 a 1 do Colorado na etapa de grupos, possui camisa: é tricampeão da Libertadores.

O Flu, por sua vez, é favorito contra o Cerro Porteño, time paraguaio que levou 5 a 0 no placar agregado contra o Atlético-MG no grupo. E, nas quartas, teria possivelmente embate complicado contra o Vélez Sarsfield, podendo fazer eventual clássico carioca contra o Fla em uma semifinal, ou até mesmo reeditar duelo da Liberta 2012 diante do Inter, quando o Tricolor levou a melhor.

Os duelos das oitavas de final da Libertadores acontecem apenas após a realização da Copa América, em julho.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL