PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Seleção faz melhor apresentação do ano, para azar de Gabigol e Richarlison

Neymar e Raphinha marcaram os dois primeiros gols da seleção brasileira contra o Uruguai pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 - 14/10/2021 - Lucas Figueiredo/CBF
Neymar e Raphinha marcaram os dois primeiros gols da seleção brasileira contra o Uruguai pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 - 14/10/2021 Imagem: Lucas Figueiredo/CBF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

14/10/2021 23h28

A seleção brasileira venceu e convenceu o Uruguai hoje (14) em Manaus, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. O placar de 4 a 1 só não foi maior porque a equipe de Tite abusou de perder chances, com 13 finalizações no gol quando o relógio marcava 40 minutos do 2º tempo.

Com uma atuação dominante em praticamente todo o jogo, o time mostrou uma criatividade que não tinha sido vista este ano, ainda mais considerando o nível do rival.

O esquema funcionou com sincronia com o quarteto Lucas Paquetá, Raphinha, Neymar e Gabriel Jesus. Fred, em uma linha mais atrás, também participou muito bem do jogo e deu até a assistência para o primeiro gol. Em determinados momentos, o time conseguiu triangular com direito a toques de efeito dentro da área adversária.

A atuação é um sinal positivo para Tite, que busca soluções para a falta de criatividade do time que é invicto nas Eliminatórias, mas não conseguia convencer nas últimas apresentações. Contra a Venezuela, por exemplo, uma equipe bem mais frágil do que o Uruguai, a seleção sofreu bem mais.

Quem pode perder espaço nos próximos jogos, marcados para novembro, é Gabigol e Richarlison. O primeiro ficou no banco, entrou e até marcou um gol, mas foi do banco que ele assistiu a Raphinha, seu substituto, ser um dos melhores do jogo depois de receber seguidas oportunidades como titular. Já o segundo não esteve com o grupo por lesão e assistiu de longe o ótimo desempenho dos companheiros.

Everton Ribeiro, que também foi testado por Tite na Copa América e nas últimas partidas, ainda não tinha tido uma sequência para cogitar a titularidade absoluta, mas a boa atuação do time também acaba o colocando com uma opção de banco. Roberto Firmino, que não foi convocado, também vive a expectativa para saber se voltará a ter chance.

Siga também as opiniões de Danilo Lavieri no Twitter e no Instagram

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL