PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

Palmeiras sofre de novo contra rival direto e precisa ligar sinal de alerta

Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

19/12/2020 22h54

O Palmeiras de Abel Ferreira fez mais um jogo ruim neste sábado (19). Em momento irregular, a equipe paulista até começou bem diante do Internacional, mas logo que sofreu o primeiro gol viu o nível de jogo cair drasticamente.

É verdade que a arbitragem de Savio Pereia Sampaio foi bastante confusa e não colaborou com o bom andamento do jogo, mas não é possível responsabilizá-lo pelo futebol ruim. Pelo contrário, um time que quer ser campeão precisa saber controlar esses momentos de nervosismo para manter um futebol bem jogado e conseguir a vitória.

Depois de um excelente início sob o comando de Abel, o Palmeiras começa a oscilar e isso é, provavelmente, resultado da maratona que o time terá que passar por estar classificado às semifinais da Copa do Brasil e da Libertadores. É muito claro que há uma grande evolução se comparado com o que a gente via antes da mudança no comando, mas ainda há pontos negativos importantes para serem considerados, especialmente quando o rival tem elenco para jogar de igual para igual.

Além de ter ido mal contra o Inter hoje, quando não conseguiu criar nenhuma chance clara de gol, a equipe já não tinha tido um bom desempenho contra o Santos e na ida contra o Libertad.

Hoje, Raphael Veiga foi muito mal na criação, Willian não conseguiu finalizar bem as chances que teve, Gustavo Scarpa esteve sumido e Lucas Lima voltou aos tempos de futebol apático. Os laterais também não colaboraram, especialmente Marcos Rocha, que além de ter jogado abaixo do nível ideal, errou na origem da jogada que terminou no gol do Inter.

Os palmeirenses que começaram a semana animados com a classificação para a semifinal da Libertadores precisam entender que para sonhar com o título da Libertadores será necessário um futebol muito melhor diante do River Plate.

Também será importante uma análise da comissão da capacidade do seu elenco. O Palmeiras não parece ter fôlego para brigar por três frentes com força máxima.