Alicia Klein

Alicia Klein

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
OpiniãoEsporte

O que o Botafogo faz em 2023 precisa virar verbo

Muito já se escreveu, falou, debateu sobre o que o Botafogo fez no primeiro turno, com incríveis 82,5% de aproveitamento. Muito mais se proferiu sobre o que aconteceu depois: um segundo turno que só não é pior que os de Goiás e América-MG.

Nos últimos nove jogos não venceu nenhum. Esteve à frente do placar em seis deles. Perdeu 9 pontos em gols sofridos depois dos 40 do segundo tempo.

Ontem, abriu o placar contra o Coritiba aos 52 do segundo tempo, de pênalti. Vinte segundos depois do reinício da partida, tomou o empate. Aos 54 minutos. De um time rebaixado há semanas.

Se havia um arcabouço emocional, ele derreteu, murchou, desmanchou, expirou, junto com a liderança do campeonato. Chegou a ter 21 pontos de vantagem sobre o Atlético-MG. A duas rodadas do fim, só está à frente do Galo pelo saldo de gols.

O declínio, o surto coletivo, o sofrimento psicológico, os acontecimentos sobrenaturais serão contados por décadas, de geração a geração. Alguns não acreditarão. Acharão exagero. História de pescador.

O efeito borboleta de Cristiano Ronaldo que levou à saída de Luís Castro, o apagão literal contra o Athletico-PR, o apagão metafórico dos 3 a 0 que viraram 3 a 4 contra o Palmeiras, o outro 3 a 4, contra o Grêmio, com hat-trick de Suárez (que só jogou porque o show do RBD levou a partida para São Januário), os gols sofridos nos minutos finais contra Bragantino, Santos e, agora, Coritiba.

Não se explica. Mas é preciso nomear.

Botafogar: levar conquista que parece certa a minguar de maneira indizível, por incompetência própria e ingerência de fatores externos extraordinários. Lançar chamas sobre o sucesso. Definhar. Mirrar. Esvanecer. Exemplo de uso: Xiiii, fulano botafogou aquela promoção no trabalho. Fulana botafogou o projeto da firma. Caramba, botafoguei o churrasco.

Nomear para entender. Nomear e tratar. Porque isso aí é pra acabar com a saúde mental de qualquer um.

Continua após a publicidade

Siga Alicia Klein no Instagram e no Twitter

Leia todas as colunas da Alicia aqui

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes