PUBLICIDADE
Topo

14 Anéis

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Dois Jogos 7 decisivos agitam a NBA nessa tarde de domingo

Giannis Antetokounmpo e Jayson Tatum fizeram história no Jogo 6 - NBA/Twitter
Giannis Antetokounmpo e Jayson Tatum fizeram história no Jogo 6 Imagem: NBA/Twitter
Conteúdo exclusivo para assinantes
Vitor Camargo

Vitor Camargo é economista formado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Desde 2011 escreve sobre esportes americanos, com passagens por Yahoo, Gazeta do Povo e o seu próprio site, o Two-Minute Warning. Foi comentarista de beisebol na Fox Sports e consultor técnico na tradução do livro Moneyball (2011). É autor do livro Era de Gigantes (2019), o primeiro sobre a história da NBA escrito no Brasil, e apresentador do podcast Na Era do Garrafão.

15/05/2022 04h00

São as duas melhores palavras que existem no mundo dos esportes americanos: Jogo Sete.

E o que é melhor do que um Jogo 7 em pleno domingo? Dois Jogos 7, é claro!

Esse é o presentão que o fã de NBA ganhou nesse domingo: às 16h30, horário de Brasília, Boston Celtics e Milwaukee Bucks fazem o jogo decisivo para ver quem avança para enfrentar o Miami Heat nas finais da Conferência Leste; e, às 21h, é a vez de Phoenix Suns e Dallas Mavericks se enfrentarem pela vaga nas finais da Conferência Oeste. Dois jogões imperdíveis para o fã do esporte.

Celtics vs Bucks, em particular, promete ser a coroação de uma série que já virou um clássico instantâneo. Não são poucos os que acham que essa é a final antecipada da NBA, e embora isso possa ser prematuro, é inegável a pura qualidade, intensidade e diversão dessa série. Quase todos os jogos dessa série envolveram grandes viradas e reviravoltas: no Jogo 3, Boston chegou a tirar uma desvantagem de 10 pontos no quarto período antes de perder nos segundos finais; no Jogo 4, os Celtics efetivamente conseguiram a virada de mais de 10 pontos para vencer o jogo no quarto período; no Jogo 5, os Bucks devolveram na mesma moeda; e, no Jogo 6, Milwaukee chegou a cortar uma vantagem de 16 pontos para 4, só para Boston engatar a sexta marcha e voltar a dominar os minutos finais. Jogos 7 são imprevisíveis por natureza, mas essa série parece levar isso a um extremo: o time da casa venceu apenas 2 dos 6 jogos dessa série, e a essa altura não tem mais ajustes a serem feitos. Ambos os times sabem quem são, e sabem o que o adversário vai fazer - é uma questão de quem mantém a cabeça no lugar e executa melhor.

Mas, se o Jogo 6 é um indicador, nós podemos nos preparar para algo histórico. O que Tatum e Giannis fizeram em Milwaukee foi para entrar no Panteão das lendas do esporte: Giannis teve 44 pontos, 20 rebotes (!!) e 6 assistências, o primeiro jogo de 40/20 em playoffs desde Shaquile O'Neal em 2001, e o primeiro de 40/20 com 6 ou mais assistências da história dos playoffs; mas nem isso foi suficiente para vencer o jogo porque, jogando fora de casa, contra os atuais campeões, batendo de frente com o atual melhor jogador do mundo (Giannis), enfrentando a eliminação dos playoffs, Jayson Tatum foi ainda melhor, com 46 pontos, 9 rebotes, 4 assistências e absoluta dominação nos momentos mais críticos do jogo. 28 desses 46 pontos vieram no segundo tempo, sendo que seus 12 no terceiro quarto foram fundamentais para abrir a vantagem dos Celtics, e quando a vantagem caiu para 4 com Tatum no banco no quarto período, ele voltou a quadra e anotou 11 pontos consecutivos - e 16 no total - para liderar Boston à vitória que salvou sua temporada. Jogos 7 em geral são mais físicos e decididos na força de vontade do que bem jogados e técnicos, mas teremos dois dos maiores astros do esporte em primeiro plano, e tudo é possível.

Suns vs Dallas não tem sido nem de longe uma série tão interessante, mas talvez ofereçam um Jogo 7 ainda mais imprevisível - em parte porque é impossível ter algum tipo de feeling sobre esses dois times. Ao contrário de Cs vs Bucks, onde ambos os times estão trocando golpes e cada jogo é apertado, decidido no detalhe, Suns e Dallas tem alternado grandes partidas com esforços horrendos, a ponto de que não é possível saber qual time vai entrar em quadra para cada lado no domingo: três dos seis jogos até aqui foram decididos por pelo menos 20 pontos, e o jogo mais apertado de todos foi a vitória dos Suns por 7 pontos no Jogo 1. Toda vez que parece que uma equipe encontrou um ajuste para se sobrepor ao rival, o jogo seguinte reverte isso por completo e nos deixa confusos. Ainda que todas as partidas até aqui tenham sido vencidas pelo time da casa - um motivo de favoritismo para os Suns para o Jogo 7 - ambas equipes tem sido tão irregulares e imprevisíveis que apostar em qualquer coisa é um tiro no escuro.

Olhando mais além, esse jogo também pode acabar sendo decisivo para o legado de um dos maiores jogadores da sua geração. Apesar de amplamente reconhecido como um dos melhores armadores da história, o currículo de Chris Paul também é marcado não só pela falta de sucesso em playoffs, mas também uma série de resultados decepcionantes com times que tinham altas expectativas. Ainda que na maioria das vezes essas decepções não fossem culpa de Paul ou devido a ele individualmente jogar mal, em certo ponto isso acumula e começa a pesar no seu legado. O Jogo 7, nesse sentido, pode ser fundamental; depois de performances muito fracas desde o Jogo 3 em Dallas, mais um jogo ruim e outra eliminação precoce - logo no ano onde os Suns eram os grandes favoritos e dominaram a temporada regular - seria mais uma marca, talvez a maior delas, no seu currículo de playoffs. Ninguém tem mais pressão nos ombros nesses Jogos 7 do que Chris Paul, o que é mais uma excelente história a se acompanhar nos Jogos 7.