PUBLICIDADE
Topo

Basquete

Antes de tragédia, Kobe Bryant disse que Maradona era seu ídolo no futebol

Diego Maradona, em jogo pelo Napoli - Etsuo Hara/Getty Images
Diego Maradona, em jogo pelo Napoli Imagem: Etsuo Hara/Getty Images

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/11/2020 19h00

Kobe Bryant e Diego Armando Maradona. Dois dos maiores nomes da história do esporte se foram neste ano de 2020 — o ídolo argentino morreu hoje aos 60 anos após parada cardiorrespiratória.

Há mais do que a coincidência no ano da morte entre as duas lendas esportivas. Isso porque o astro da NBA chegou a revelar em uma entrevista que tinha "El Pibe" como ídolo.

"Maradona é meu ídolo. Eu amo o Maradona. Quando era pequeno, na Itália, sempre assistia ao Maradona quando ele jogava pelo Napoli", disse Kobe Bryant em entrevista a uma emissora argentina.

E a admiração entre eles era recíproca. Na morte de Kobe em um acidente de helicóptero, em janeiro, Maradona exaltou o ex-jogador de basquete em publicação no Instagram.

"Se vão todos o bons. Lamento também a morte de sua filha e dos tripulantes do helicóptero. Até mais, lenda", escreveu o argentino.

A morte de Maradona nesta quarta-feira abalou o mundo do esporte. A saúde do craque argentino já estava precária desde o início do mês, quando ele foi operado de um hematoma subdural e depois, por decisão familiar e médica, permaneceu hospitalizado devido a uma "baixa anímica, anemia e desidratação" e um quadro de abstinência devido ao vício em álcool.

Maradona passou mal pela manhã. Segundo a imprensa argentina, seis ambulâncias foram chamadas para atender o ex-jogador, mas os médicos não conseguiram salvá-lo. Antes dos problemas de saúde, o campeão mundial pela Argentina em 1986 trabalhava como técnico do clube Gimnasia y Esgrima La Plata.

Nesta quinta-feira (26), o adeus a Diego Maradona foi intenso: o velório foi aberto ao público na Casa Rosada —a sede do Governo Federal argentino— e acabou em confusão e enfrentamento entre torcedores e policiais. Depois de um cortejo fúnebre, o enterro foi mais íntimo, apenas para familiares e amigos. O corpo do craque agora repousa no cemitério Jardín de Bella Vista, a 35km do centro de Buenos Aires.

Basquete