PUBLICIDADE
Topo

Basquete

Jogador argentino revela ser gay nas redes sociais: 'A verdade nos liberta'

Sebastián Vega, do Gimnasia y Esgrima de Comodoro Rivadavia - Reprodução / Twitter
Sebastián Vega, do Gimnasia y Esgrima de Comodoro Rivadavia Imagem: Reprodução / Twitter

Do UOL, em São Paulo

10/03/2020 16h40

Em uma carta muito pessoal compartilhada no Twitter, Sebastián Vega, jogador de basquete argentino, revelou ser homossexual. O atleta do Gimnasia y Esgrima de Comodoro Rivadavia contou ter vivido anos difíceis antes de se abrir para sua família, amigos e companheiros de equipe.

"Me lembro do momento com exatidão: eu deitado na cama, completamente no escuro, olhando o teto em silêncio, sem saber o que fazer, com a cabeça explodindo. Acabava de estar com um homem pela primeira vez e não podia aceitar. Aquela noite foi uma das piores que me lembro. Significou uma mudança definitiva na minha vida e nas minhas estruturas", escreveu o atleta.

Vega continuou o relato com a lembrança de tudo o que sentiu desde o momento citado. "Sofria, reprimia sentimentos, me sentia em falta. Não podia compreender como me atraia uma pessoa do mesmo sexo que eu", contou.

Buscando aceitação, o jogador de basquete foi noivo de uma mulher, mas não conseguia se livrar da confusão de pensamentos. "Mentia para mim mesmo, negava a realidade, estava frustrado, triste. Não entendia porque isso acontecia comigo. Eu queria ser um a mais, queria me encaixar, queria ser como meus amigos e comecei a afundar", disse.

O conflito interno fez com que Vega pensasse em deixar o uniforme verde e branco do Gimnasia y Esgrima e abandonar o basquete. Além disso, durante a temporada que marcou essa fase de sua vida, o jogador sofreu muitas lesões. Só então o atleta decidiu "tomar as rédias" de sua vida.

Na carta, Vega também lembrou como foi contar ao pai que era gay: "Fui preparado para o pior. Mas, para a minha surpresa, sua reação foi de amor. Foi uma cena dura, ele quase desmaiou enquanto eu contava, mas aceitou. Tive que entender que era um processo para ele e para a minha mãe, e eu os respeitei. Foi um tremendo alívio contar com o apoio da minha família".

Depois desse passo, Vega explicou que também contou para seus companheiros de equipe e para os dirigentes do Gimnasia y Esgrima. "Eles [jogadores e comissão técnica] também me apoiaram, me demonstraram que nada ia mudar, que as coisas seriam iguais", lembrou.

"Qual é o objetivo de tudo isso? O mais importante é poder encerrar uma etapa e me sentir livre. Mostrar a todos e a mim mesmo que minha profissão e minha vida pessoal podem andar no mesmo caminho. Posso ser gay e continuar jogando basquete com o mesmo compromisso que tive desde quando estreei na Liga. Também gostaria que isso possa ajudar outras pessoas que possam estar em uma situação parecida", concluiu.

Nascido em Gualeguaychú, Sebastián Vega, de 31 anos, começou sua carreira no basquete no Central Entrerriano. Hoje, depois de passar por grandes clubes argentinos, o atleta disputa a Liga Nacional de Basquete da Argentina com o Gimnasia y Esgrima de Comodoro Rivadavia.

Basquete