PUBLICIDADE
Topo

Lula usa Stranger Things para criticar Bolsonaro: 'Mundo invertido'

Lula utiliza Stranger Things para ironizar o presidente Jair Bolsonaro - Redes Sociais
Lula utiliza Stranger Things para ironizar o presidente Jair Bolsonaro Imagem: Redes Sociais

Do UOL, em São Paulo

03/06/2022 16h09Atualizada em 03/06/2022 16h09

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) utilizou referências da série "Stranger Things", da Netflix, para criticarpresidente Jair Bolsonaro (PL). Em uma publicação no twitter, o petista comparou o mundo invertido mostrado na série com polêmicas associadas a Bolsonaro, como o orçamento secreto, as fake news e a falta de transparência.

No seriado, o mundo invertido é como o mundo real no aspecto físico, mas com espaço e o tempo distorcidos. Por isso, os cenários são dominados por criaturas e monstros que tentam entrar no mundo real e possuem aspectos sombrios.

A primeira parte da quarta temporada de Stranger Things foi lançada na última sexta-feira (27) e está nas primeiras posições de audiência da Netflix, com índices elevados de audiência e discussões nas redes sociais.

Com a mesma trilha sonora da abertura da série, mas parodiando o nome para "Bagulhos Sinistros", o vídeo divulgado nas redes de Lula ataca Bolsonaro trazendo imagens de Brasília como se estivesse no mundo invertido e os vilões da atração aparecessem com referências ao presidente, como o caso da Wal do Açaí, suposta funcionária fantasma que recebia verba pública, mas mesmo assim empreendia em uma venda de açaí.

Um outro vilão aparece com um boné escrito "Acabou a mamata", uma das frases mais utilizadas por apoiadores de Bolsonaro durante as eleições e logo em sequência um trator aparece na tela, fazendo a referência a suposta compra de tratores superfaturados por parte de aliados do presidente com verbas do orçamento secreto.

O vídeo diz que dinheiro estaria desaparecendo misteriosamente "em um fenômeno sobrenatural conhecido como orçamento secreto". A paródia chega até o presidente do Congresso e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD) e do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP) quando diz que somente algumas pessoas conseguem acesso ao "mundo invertido de Brasília".

No fim, é dito que todos os casos estranhos teriam a ver com um "ser maligno" e neste momento a figura do presidente Jair Bolsonaro aparece, junto de vários apelidos pejorativos associados a ele, tais como "Bolsocaro" e "Capitão Censura" e que o ser estaria infectando outras pessoas e deixando rastros de destruição.

Na postagem, Lula deixa um link para seu próprio site, onde há uma matéria escrita em que as polêmicas citadas no vídeo são elencadas.

O UOL entrou em contato com o Planalto perguntando se Jair Bolsonaro quer se pronunciar. O texto será atualizado em caso de retorno.