PUBLICIDADE
Topo

Sabatina UOL/Folha

Pré-candidatos são entrevistados por jornalistas do UOL e da Folha


Pré-candidato na BA, Roma ecoa falas de Bolsonaro e associa ACM Neto ao PT

Colaboração para o UOL, em São Paulo

23/05/2022 10h21Atualizada em 23/05/2022 11h43

João Roma (PL), pré-candidato ao governo da Bahia, criticou seu principal opositor na disputa, ACM Neto (União), afirmando que o ex-prefeito de Salvador fez movimentos para se aproximar do PT no estado para vencer as eleições.

As declarações, durante a sabatina UOL/Folha hoje, já demonstram sua estratégia de usar o nome do presidente Jair Bolsonaro (PL) e se colocar como o candidato que é contra o PT, numa cópia da polarização da disputa nacional entre Lula e Bolsonaro.

"O presidente Bolsonaro, apesar de não ter sido o vencedor na Bahia na última eleição, tem tratado a Bahia com muito carinho e respeito, investindo muito não apenas na área social", afirmou. "O povo da Bahia é um povo muito solidário e grato, ele saberá reconhecer o que o presidente Bolsonaro tem feito."

Ele defendeu Bolsonaro também com relação às vacinas, dizendo que o presidente nunca foi contra essa medida, e sim contra ser obrigatória. Sem apresentar nenhuma prova, o presidente continua falando contra a vacina em seus discursos e lives nas redes sociais.

"O presidente Bolsonaro não foi contra a vacina, ele viabilizou vacina para todos os brasileiros. O que ele é contra, veementemente, é que se obrigue o cidadão a agir contra a sua vontade. A defesa do presidente pela liberdade é intransigente, e isso é admirável".

"Não existe xerox de ninguém na vida pública. O importante é pegar o essencial disso: a defesa intransigente do presidente em relação à liberdade, e com isso ele se encontra completamente com meu afinamento."

Ele também ecoou as críticas às urnas eletrônicas, dizendo que "foi um avanço", mas sempre pode ser melhorada, inclusive na auditoria.

"É sempre importante aperfeiçoar o sistema eleitoral. Cabe ao Judiciário dirimir dúvidas. Se uma parcela da população não está confortável, e se é possível auditar, isso tá previsto em lei. O que o presidente Bolsonaro reclama é de um ativismo judicial", afirmou.

Sobre o assunto, ele defendeu "auditoria externa" para apurar os votos: "Não vejo dificuldade do Judiciário em evoluir, inclusive, admitir a questão da auditoria externa, está previsto em lei, não é invenção".

Associações do ACM Neto ao PT

Antigo aliado de ACM Neto, de quem foi chefe de gabinete por cinco anos, ele comentou aproximações ao PT e afirmou que o ex-prefeito dá "sinais de antiliderança".

"Eu permaneço no meu mesmo quadrante: fazendo oposição ao PT e colocando com clareza o que acredito para o futuro do Brasil", afirmou Roma.

"O que vimos nas últimas entrevistas foi até procura [de ACM Neto] pelo [ex-ministro] Zé Dirceu para buscar composição junto com o PT aqui na Bahia", disse Roma, afirmando que o ex-prefeito tenta se colocar como se não fosse "nem carne, nem peixe", "sem saber o que quer".

"A Bahia vive um descompasso entre o século 21 e as práticas políticas do século 19. O que observamos nos últimos meses é uma troca de cadeiras, uma troca de cartas, com cada político poderoso preocupado com seu espaço de poder e olhando para o seu umbigo. Antagônicos começam a se colocar em conchavos políticos, se utilizando das estruturas do governo do estado e da Prefeitura de Salvador."

O que preocupa a população da Bahia não é a procura de um administrador apenas. Ela procura alguém que possa ser também um líder político, e ele [ACM Neto] está dando sinais de antiliderança. Mais importante do que dizer para onde devemos ir, é mostrar quais são os descaminhos. E, se ele admite estar do lado do PT, eu não admito."
João Roma (PL), pré-candidato ao governo da Bahia

A sabatina com João Roma, deputado federal e ex-ministro da Cidadania do governo do presidente Jair Bolsonaro (PL), é a primeira da série do UOL e da Folha com pré-candidatos ao governo da Bahia.

A entrevista acontece ao vivo, com uma hora de duração. Os entrevistadores são a apresentadora Fabíola Cidral e o colunista Carlos Madeiro, do UOL, e João Pedro Pitombo, repórter da Folha.

Se houver segundo turno, as sabatinas serão realizadas na semana de 17 a 21 de outubro. As datas foram decididas em reunião com as campanhas, na qual foram aceitas as regras das sabatinas.

Segundo pesquisa Genial/Quaest divulgada no dia 18, ACM Neto está na liderança de intenção de votos para o governo da Bahia. Com 67%, ele venceria no primeiro turno caso as eleições fossem hoje.

Os demais candidatos somam 12% das intenções de voto. O ex-secretário de Educação da Bahia Jerônimo Rodrigues (PT) tem 6%; o ex-ministro da Cidadania João Roma, 5%; e o professor Kleber Rosa (PSOL), 1%.

Como a margem de erro é de 2,9 pontos percentuais para mais ou para menos, esses três pré-candidatos empatam tecnicamente. O professor Giovani Damico (PCB) não pontuou. Brancos, nulos e aqueles que disseram que não pretendem votar somam 12%. Indecisos são 8%.

Calendário das sabatinas na Bahia

  • 25/05 - 10h - ACM Neto
  • 26/05 - 10h - Kleber Rosa (PSOL)
  • 27/05 - 10h - Jerônimo Rodrigues (PT)