PUBLICIDADE
Topo

Com 3ª via empacada, chance de ir ao 2º turno hoje é nula, diz estatístico

Os presidenciáveis Ciro Gomes, Sergio Moro e João Doria - Evaristo Sá/AFP;  Marcos Oliveira/Agência Senado e Flavio Corvello/Futura Press/Estadão Conteúdo
Os presidenciáveis Ciro Gomes, Sergio Moro e João Doria Imagem: Evaristo Sá/AFP; Marcos Oliveira/Agência Senado e Flavio Corvello/Futura Press/Estadão Conteúdo

Juliana Arreguy

Do UOL, em São Paulo

26/03/2022 04h00

As quatro pesquisas eleitorais publicadas nesta semana, com foco na eleição presidencial de 2022, indicam que o melhor desempenho de uma candidatura de terceira via no primeiro turno é inferior a 13% das intenções de votos, considerando a margem de erro. Os levantamentos foram publicados por BTG/FSB, Exame/Ideia, Datafolha e Ipespe/XP.

Os principais nomes da dita terceira via, que se apresenta como alternativa às candidaturas de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), são Ciro Gomes (PDT), Sergio Moro (Podemos) e João Doria (PSDB).

Lula lidera por uma diferença de pelo menos dez pontos percentuais em seis dos sete cenários testados pelos institutos de pesquisa. Apenas na pesquisa Exame/Ideia a diferença entre ele e Bolsonaro é menor, de apenas cinco pontos percentuais.

O site Polling Data, agregador de pesquisas eleitorais, indica que, com base nas atuais pesquisas, não há chance de que as candidaturas da terceira via cheguem ao segundo turno. Os levantamentos apontam que a disputa, neste momento, seria entre Lula e Bolsonaro.

"Neste momento, a probabilidade de um candidato da terceira via ir ao segundo turno é zero", explica o estatístico Neale El-Dash, criador do Polling Data.

Para calcular as chances da terceira via, El-Dash soma as probabilidades que todos os pré-candidatos — à exceção de Lula e Bolsonaro — têm de avançar ao segundo turno. "Se hoje a probabilidade de cada um deles é zero, a soma também dá zero", resume.

O estatístico também observa que, como as eleições brasileiras muitas vezes "são decididas nas últimas semanas", é possível que os cenários não se mantenham os mesmos até outubro, quando será a votação.

Não é possível comparar nenhuma das quatro pesquisas com levantamentos anteriores feitos pelos mesmos institutos. No caso da BTG/FSB, trata-se da primeira pesquisa realizada em 2022.

Os outros institutos tiveram mudanças nas listas de presidenciáveis apresentadas aos eleitores nos questionários. Confira, abaixo, quais foram:

  • Exame/Ideia: em relação à última pesquisa, publicada em fevereiro, o levantamento deixou de incluir os senadores Alessandro Vieira (PSDB) e Rodrigo Pacheco (PSD) entre as opções de voto
  • Datafolha: o instituto retirou os nomes de Alessandro Vieira, Rodrigo Pacheco e do ex-ministro Aldo Rebelo (sem partido) entre os presidenciáveis e passou a incluir André Janones (Avante), Leonardo Péricles (UP) e Vera Lúcia (PSTU)
  • Ipespe: Alessandro Vieira, que constava nas sondagens anteriores, foi retirado da lista de pré-candidatos

Apesar de não ser possível comparar os dados, El-Dash observa que os números dos quatro presidenciáveis com mais chances nas pesquisas (Lula, Bolsonaro, Ciro e Moro) se mantiveram relativamente estáveis desde julho de 2021.

BTG/FSB

A pesquisa BTF/FSB ouviu 2 mil eleitores das 17h do dia 18/3 às 15h de 20/3. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Devido ao arredondamento, a soma dos percentuais pode variar entre 99% e 101%. O registro do levantamento no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-09630/2022.

Lula lidera com diferença de dez pontos percentuais, dentro da margem de erro, em relação a Bolsonaro. Na sequência, aparecem Ciro (9%) e Moro (8%), tecnicamente empatados.

Segundo turno

Bolsonaro é derrotado em todas as simulações de segundo turno testadas pelo instituto. A menor diferença foi para o tucano João Doria. Lula, por outro lado, sai vitorioso em todos os cenários.

Pesquisa BTG/FSB - 2º turno (25/03/2022)  -  -

Sobre a FSB

A FSB Pesquisa é um instituto fundado em 2008 e ligado ao grupo FSB Comunicação, que presta serviços a empresas e órgãos públicos. A empresa realiza levantamentos sobre intenções de voto para presidente desde a eleição de 2010.

Exame/Ideia

A pesquisa Exame/Ideia ouviu 1.500 pessoas por telefone entre os dias 18 e 23 de março. As ligações foram tanto para telefones fixos residenciais quanto para celulares. O índice de confiança é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento foi contratado pela Exame e registrado no TSE sob o protocolo BR-04244/2022.

Lula também lidera o levantamento, mas por uma diferença de apenas cinco pontos percentuais, dentro da margem de erro, em relação a Bolsonaro. Moro e Ciro aparecem numericamente empatados.

Segundo turno

O petista vence todos os cenários de segundo turno testados pelo instituto. Bolsonaro é derrotado por Lula e Ciro, mas vence Moro e Doria nas simulações.

Pesquisa Exame/Ideia - 2º turno (25/03/2022) -  -

Sobre o Ideia

O Instituto Ideia, antigo Ideia Big Data, foi fundado em 2011 e até 2018 realizava pesquisas eleitorais para divulgação exclusiva para seus clientes. Desde julho de 2020, o Ideia mantém uma parceria com a revista Exame, que financia e divulga seus levantamentos sobre intenções de voto. Os métodos utilizados para os levantamentos variam, e o Ideia se diz "agnóstico em termos de metodologia".

Datafolha

A pesquisa Datafolha ouviu 2.556 pessoas, com 16 anos ou mais, entre os dias 22 e 24 de março. As entrevistas foram feitas por abordagem pessoal, em pontos de fluxo populacional, em 181 cidades brasileiras. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, com índice de confiança de 95%. O levantamento foi registrado no TSE com o número BR-08967/2022.

O instituto afirmou não testar pesquisas com dois nomes do mesmo partido, como no caso de Leite e Doria. Ao todo foram realizadas quatro simulações; na primeira delas, apenas o nome de Leite não foi incluído.

O segundo cenário foi simulado sem a presença de Doria:

No terceiro cenário, a pesquisa foi realizada sem Leite e a senadora Simone Tebet (MDB):

O quarto e último cenário foi testado sem os dois tucanos.

Segundo turno

Bolsonaro é derrotado por todos os candidatos no segundo turno, segundo o instituto. Lula sai vitorioso em todas as simulações.

Pesquisa Datafolha - 2º turno (25/03/2022) -  -

Sobre o Datafolha

O Datafolha é um instituto de pesquisas ligado ao jornal Folha de S.Paulo. O instituto só realiza pesquisas eleitorais financiadas por grupos de comunicação. As pesquisas geralmente são feitas abordando entrevistados em pontos de grande fluxo de pessoas em áreas estabelecidas conforme distribuição do eleitorado brasileiro.

Ipespe

A pesquisa Ipespe foi realizada entre 21 a 23 de março e contratada pela XP Investimentos. Foram ouvidos 1.000 entrevistados de 16 anos ou mais em todas as regiões do país por telefone. O índice de confiança é de 95,5% e a margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. O registro no TSE é BR-04222/2022.

Lula lidera por uma diferença de 11 pontos percentuais, dentro da margem de erro, em relação a Bolsonaro. Moro (9%) e Ciro (7%) empatam tecnicamente; pela margem de erro, o pedetista também empata tecnicamente com Doria (2%), Eduardo Leite, Simone Tebet e André Janones (todos com 1%).

Segundo turno

O instituto testou nove cenários de segundo turno. O ex-presidente Lula saiu vitorioso em todas as simulações. O único cenário em que Bolsonaro sai vitorioso é contra Eduardo Leite; de resto, é derrotado por Lula, Moro, Ciro e Doria.

Sobre o Ipespe

O Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas) é uma empresa de pesquisas fundada em 1986 e com sede no Recife. O instituto geralmente faz pesquisas eleitorais por telefone. Operadores ligam para eleitores selecionados conforme a distribuição de todo eleitorado brasileiro e os questionam sobre suas preferências eleitorais.

Errata: o texto foi atualizado
Uma versão anterior deste texto continha um erro no último conjunto de gráficos, com as pesquisas do Ipespe para o segundo turno. O gráfico de barras com a simulação da disputa entre Jair Bolsonaro e Eduardo Leite informava incorretamente que se tratava da disputa entre Lula e Moro. A informação foi corrigida.