PUBLICIDADE
Topo

Porco-do-mato queimado no Pantanal volta à natureza após tratamento

Cateto ferido se recupera após tratamento no Pantanal - Divulgação
Cateto ferido se recupera após tratamento no Pantanal Imagem: Divulgação

Lígia Nogueira

Colaboração para Ecoa, em São Paulo

10/05/2021 10h00

Resgatada com queimaduras dos incêndios no Pantanal mato-grossense no ano passado, uma fêmea de porco-do-mato recebeu tratamento durante seis meses pela ONG AMPARA Silvestre, ganhou peso e foi solta em uma ação do Polo Socioambiental Sesc Pantanal, há alguns dias, totalmente recuperada.

O mamífero, também conhecido como cateto ou caititu, foi encontrado em outubro de 2020 no Parque Sesc Baía das Pedras, localizado na Estrada Parque Porto Cercado, em Poconé, e no próprio local recebeu o tratamento em um recinto em meio à mata. Um microchip foi implantado abaixo da pele do animal, o que permitirá o seu monitoramento.

A fêmea foi resgatada com as quatro patas e o peito queimados e estava prenha quando foi encontrada, mas perdeu o filhote devido ao estresse, segundo a veterinária voluntária da ONG, Laís Picanço.

"Logo que ela chegou, os veterinários deram início ao tratamento com analgésicos, antibióticos e anti-inflamatórios. Para as queimaduras, os especialistas usaram pele de tilápia e óleo ozonizado. A troca de curativo era feita uma vez por semana, devido à sedação, já que era inviável a aproximação. Ela respondeu muito bem ao tratamento e está 100% recuperada", diz Laís.

O apoio aos resgates da fauna fez parte da atuação do Sesc Pantanal no período após o fogo, em parceria com a AMPARA Silvestre, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema-MT) e o núcleo de fauna do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

O parque, que faz parte do Polo Socioambiental Sesc Pantanal, teve 10% dos 5 mil hectares atingidos e abriga uma variedade de espécies, como a onça-pintada e outros nove animais que estão na lista de extinção.