PUBLICIDADE
Topo

"Roda Viva" com Silvio Almeida inspira 'clube do livro' nas redes

O advogado e professor Silvio Almeida - Valdir de Oliveira/FotoArena
O advogado e professor Silvio Almeida Imagem: Valdir de Oliveira/FotoArena

Diana Carvalho

De Ecoa, em São Paulo

23/06/2020 15h34Atualizada em 24/06/2020 09h03

A entrevista do jurista e professor Silvio Almeida ao "Roda Viva", na noite de segunda-feira (22), não só repercutiu nas redes sociais como uma aula sobre como a abordagem política, social e econômica do país deve obrigatoriamente olhar para questões raciais, como gerou uma onda colaborativa para reunir todos os autores e livros indicados por ele durante o programa da TV Cultura.

Na conversa com os jornalistas, Almeida — que é advogado e doutor em filosofia, professor da FGV (Faculdade Getúlio Vargas) e autor do livro "Racismo Estrutural" (ed. Polén, 2019) — citou Kabenguele Munanga, Milton Santos, Abdias do Nascimento, Lélia Gonzalez, W. E. B. Du Bois e tantos outros que, para não perder nenhum, o jornalista e designer Raife Salles resolveu fazer uma thread no Twitter sobre o assunto.

"Percebi que, a cada citação dele, a timeline ficava maluca! Admirada com a intelectualidade do professor Silvio. Eu mesmo sinto uma necessidade de curadoria de bons livros sobre o tema, então achei válido compilar dessa forma", explica Salles, que logo depois publicou em seu perfil no Instagram a mesma lista com as menções do jurista.

O primeiro compartilhamento no Twitter gerou praticamente um "clube do livro", com seguidores comentando sobre as obras e agradecendo a iniciativa. "Foi bem orgânico, as pessoas foram ajudando a construir a thread", diz o designer.

Recentemente, Ecoa também preparou uma biblioteca antirracista com uma lista de obras para ajudar quem quer colaborar com a construção de um mundo mais igualitário.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado no texto original, a segunda-feira de exibição do programa foi dia 22, e não 23 de junho. A informação foi corrigida na quarta-feira (24) às 8h53.

Educação