Como cuidar bem dos pneus da sua moto e quando é a hora certa de trocá-los

Em qualquer veículo, os pneus em bom estado são fundamentais para rodar com segurança, além de influenciarem no conforto e no consumo de combustível. No caso das motos, é preciso tomar alguns cuidados essenciais para obter desempenho e durabilidade esperados.

Pensando nisso, o UOL Carros conversou com especialistas no assunto para saber como cuidar dos pneus e também a hora certa de trocá-los.

Rodas em ordem

Para que os pneus possam desempenhar bem sua função, eles precisam estar montados em rodas que estão em bom estado. Rodas ovaladas ou amassadas podem gerar desgaste irregular e diminuir a vida útil dos pneus.

Por isso, dê atenção especial às rodas, sejam elas de liga-leve ou raiadas. Antes de colocar um pneu novo, o ideal é balancear as rodas em uma oficina especializada.

Na pressão certa

O fator primordial para a durabilidade dos pneus é a calibragem correta. Rodar com a pressão abaixo do recomendado aumenta o desgaste, diminui a eficiência - principalmente em curvas - e compromete a segurança, podendo até causar quedas.

O ideal é sempre calibrar os pneus com a pressão recomendada pela fabricante da motocicleta no Manual do Proprietário e também em etiquetas afixadas na moto.

"A montadora realizou testes e chegou a uma determinada pressão que proporciona o melhor comportamento da moto em acelerações, curvas e frenagens porque o pneu trabalha em conjunto com suspensões e freios", alerta o coordenador de marketing moto da Pirelli Latam, Vitor Gauber Rosinholi.

Calibre os pneus semanalmente, a frio e de acordo com as especificações do fabricante. Dessa forma, além de fazer com que durem mais, você também pilotará com mais segurança.

Continua após a publicidade

Respeite o limite de carga

Todo pneu traz em sua lateral, códigos e letras que indicam o tipo de pneu, as medidas, o limite de velocidade e carga. Vamos tomar como exemplo a scooter Honda PCX, equipada com um pneu traseiro 120/70-14 M/C 61P.

Os primeiros números indicam as medidas. Ele tem 120 mm de largura, com altura de 70% da largura e 14 polegadas de diâmetro da roda. As letras M/C significam ser um produto para motocicletas. O último código numérico se refere à carga máxima que pode suportar. No caso do da PCX, que tem índice 61, a carga máxima é de 257 kg.

Já a última letra é o código de velocidade, ou seja, a velocidade máxima que o pneu pode atingir com segurança. No exemplo do da PCX, o código P indica que ele pode chegar a 150 km/h.

Nunca exceda a carga máxima indicada no flanco do pneu ou a capacidade de carga da moto, indicada no manual do proprietário. Vale lembrar que esse índice leva em conta piloto, garupa e também bagagem. Rodar com excesso de carga, além de diminuir a vida útil do pneu, pode comprometer sua segurança.

Lembre-se ainda: sempre que for transportar garupa e carga é necessário calibrar o pneu com a pressão recomendada para essa situação.

Continua após a publicidade

Pilote com suavidade

Cada vez que o piloto acelera, transfere a força do motor para o pneu traseiro. Quanto mais brusca for essa transferência, maior será o desgaste da banda de rodagem do pneu.

A mesma situação ocorre ao frear ou reduzir a marcha da moto: toda vez que se aumenta o atrito com o solo a borracha é consumida. Portanto, pilotar de forma progressiva vai ajudar o seu pneu a durar mais. Nada de acelerar com tudo e derrapar a roda traseira na hora de frear. Suavidade é a palavra-chave para fazer seu pneu durar mais.

Quando é a hora certa de trocar o pneu da moto?

Uma dúvida frequente entre os motociclistas é sobre a hora certa de trocar o pneu. Um método muito comum é a boa e velha inspeção visual. Ou seja, você olha e percebe que o pneu está ficando "careca". Porém, muitas vezes o desgaste não ocorre por igual em toda a banda de rodagem e fica difícil identificar se o pneu pode ou não rodar mais alguns quilômetros.

Para facilitar a vida do motociclista, as fábricas de pneus dotam seus produtos de uma maneira simples e eficaz de se averiguar se está na hora de trocá-los. Trata-se do T.W.I. (Tread Wear Indicator) um dos limites para o uso dos pneus de moto. A sigla vem do inglês Tread Wear Indicator, que significa, em tradução livre, "indicador de desgaste da banda de rodagem".

Continua após a publicidade

Esses indicadores de desgaste podem ser facilmente localizados nos flancos (lateral) dos pneus, onde geralmente há a inscrição T.W.I. ou ainda alguma indicação como uma seta ou o logotipo do fabricante. Nessa direção, o motociclista vai encontrar o filete de borracha indicando a altura mínima de uso do pneu.

Todo pneu de moto (e até de carro) conta com o TWI, o tal filete de borracha disposto transversalmente aos sulcos em alguns pontos da banda de rodagem. Mas como ele funciona?

"O TWI indica que a borracha acabou. O sulco que ajuda a escoar a água no piso molhado já não faz o seu papel. E no seco, não tem mais aderência", explica Eduardo Zampieri, piloto de testes de pneu de moto da Pirelli. Segundo o piloto, quando esse filete ficar aparente, no mesmo nível da banda de rodagem, está na hora de trocar o pneu.

Posso usar outro pneu?

Muitos motociclistas fazem questão de usar o mesmo modelo que veio de fábrica em sua moto. "Os pneus homologados pela fabricante também são testados e indicados para o uso geral da moto", afirma Rosinholi. Contudo, o especialista alerta que se pode trocar o modelo de pneu para um uso específico, mas é preciso respeitar as medidas originais da fabricante.

"Um motociclista que usa bastante sua moto em estradas de terra pode optar por um pneu de perfil mais off road, assim como um proprietário de moto esportiva que acelere apenas em autódromos pode trocar por um pneu mais focado em desempenho em pistas. O importante é respeitar as medidas e especificações de fábrica da moto, como o índice de carga e velocidade", esclarece Vitor Rosinholi.

Continua após a publicidade

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes