PUBLICIDADE
Topo

Carros colecionáveis: por que garagem de Bonner indica tendência no Brasil

Ford Escort XR3 1985 William Bonner - Reginaldo de Campinas/Arquivo pessoal
Ford Escort XR3 1985 William Bonner Imagem: Reginaldo de Campinas/Arquivo pessoal

José Antonio Leme

Do UOL, em São Paulo (SP)

07/01/2022 04h00

Ford Escort XR3, Volkswagen Passat TS e Gol GT. O que esses carros têm em comum, além do fato de ocuparem a garagem do apresentador do Jornal Nacional William Bonner? Nos últimos anos, estes veículos se tornaram joias no mercado de carros antigos.

Além deles, há outros modelos se preparando para virar - ou já virando - objeto de coleção, como é o caso também do Gol GTI, primeiro carro com injeção eletrônica produzido no País, e em menor escala o Gol GTS.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Se você tem um desses e outros carros, é uma boa hora de guardá-los e preservá-los. Esses modelos, que até "ontem" não eram desejados e que acabavam usados até acabar, são os neocolecionáveis.

Quem usa o termo é o especialista e empresário do ramo de carros antigos José Paulo Parra. Ele diz que esses são automóveis que agora ganham notoriedade como modelos a serem preservados.

Isso já vinha ocorrendo, por exemplo, há muito tempo com o Volkswagen Fusca, Chevrolet Opala e Dodge Dart - carros que, apesar de dividirem o período histórico com alguns dos outros citados acima, já tinham um certo "culto".

Fabio Pagotto, outro especialista em carros antigos, lembra o motivo pelo qual esses carros têm se tornado colecionáveis, sendo procurados e preservados.

"As pessoas que hoje têm dinheiro para tê-los, restaurá-los e preservá-los eram os jovens que tiveram ou queriam esses carros, mas não possuíam acesso por causa do preço. Hoje, com uma vida estabilizada na casa dos 50 anos ou 60 anos, podem fazer isso", diz Pagotto. Não à toa, William Bonner está nessa faixa de idade - o apresentador tem 58 anos.

Gol GTI de R$ 120 mil é retrato

O retrato da velocidade com a qual esses carros estão ganhando relevância, alguns mais do que outros, é o fato de o Gol GTI já ter alcançado cifras que bateram em R$ 120 mil em um leilão aqui no Brasil.

Ao mesmo tempo há um mercado ainda de possíveis neo colecionáveis a ser descoberto e desvendado, que ainda atingirá carros do meio dos anos 90, caso de Pointer GTS ou Logus, e chegará também no início dos anos 2000, com Gol e Parati Turbo, além do sempre mal falado Fiat Marea.

São carros que, se não foram sucesso de vendas, marcaram a vida de pessoas e que contam parte da história da indústria automotiva brasileira, alguns deles desenvolvidos e comercializados por aqui pela Autolatina, a empresa criada da junção de Volkswagen e Ford no período.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.