PUBLICIDADE
Topo

VW Passat TS entra na coleção de William Bonner e pode chegar a R$ 100 mil

VW Passat TS de William Bonner - Reprodução
VW Passat TS de William Bonner Imagem: Reprodução

José Antonio Leme

Do UOL, em São Paulo

06/01/2022 04h00

O âncora e editor do Jornal Nacional, William Bonner, aumentou sua coleção de carros antigos. O jornalista adquiriu um Volkswagen Passat TS 1977, versão que era considerada a esportiva da época para o modelo.

Bonner, que já era proprietário de um Passat Pointer, versão mais moderna e também esportiva do cupê, agora tem outra raridade na garagem, que aos poucos vai se tornando atraente para os colecionadores.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

De acordo com especialistas, modelos iguais ao adquirido por Bonner têm recebido cada vez mais procura e já foram negociados a valores próximos dos R$ 100 mil.

Quem fala sobre a pedida é Fabio Pagotto, perito especializado em carros antigos. "Já vimos Passat TS com restaurações de altíssimo nível, que podem custar até três dígitos, que foram negociados diretamente entre colecionadores por valores equivalentes ao custo da restauração: entre R$ 80 mil e R$ 100 mil".

O Passat TS é a primeira versão considerada esportiva deste Volkswagen no Brasil. Ela surgiu em 1976, um ano antes do modelo que Bonner adquiriu, e foi produzido até 1982.

Pagotto diz que, na época e hoje também, a cor mais desejada é a Verde Mantiqueira. Já prata, como o carro de Bonner, é uma das mais raras pela baixa produção - e por isso muito procurada.

Os modelos entre 76 e 78, como o do apresentador, com quatro faróis redondos, são mais desejados. Entre 1979 e 1982, o carro ganhou uma dianteira com frente e faróis quadrados.

VW Passat TS de William Bonner - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Pagotto reafirma também que o Passat TS está, assim como o Gol GT (que Bonner tem um exemplar) e o Gol GTI (que já atingiu valores de R$ 120 mil no mercado de leilão), ganhando importância devido à memória afetiva dos compradores.

"Eles se tornaram o sonho de muitos jovens da época, que não puderam ter o carro porque era limitado e mais caro do as versões normais. Mas hoje, com uma situação financeira melhor, essas pessoas realizam essa vontade antiga mesmo estando na casa dos 50 ou 60 anos", diz Pagotto.

Vale lembrar que Bonner, além do Gol GT 1986 e dos Passat TS e Pointer, tem também na garagem um Ford Escort XR3 1985 e um Ford Mustang Fastback 1966.

Passat TS em detalhes

Como Bonner destacou no post com uma hashtag, o Passat é um dos carros projetados e desenhados por Giorgetto Giugiaro, um dos projetistas mais famosos até hoje e, à época, dono de um estúdio com o seu sobrenome.

O carro ficou marcado pela faixa lateral na cor preta e com a sigla "TS", que significa "Touring Sport". Nos últimos modelos, com frente quadrada, a faixa foi substituída por um emblema com as letras nos painéis laterais e na grade do motor.

O Passat TS também tinha como diferenciais os bancos dianteiros com encosto alto, até o topo da cabeça, e os mostradores extras de óleo, voltagem e relógio no console central, além do volante de três raios com o nome da versão na buzina no modelo pré-reestilização.

Ele também foi o primeiro a usar o motor 1.6 de 96 cv e 13,2 mkgf. Até então, as demais versões do Passat vinham com motor 1.5 de 78 cv e 11,5 mkgf. Nos dois casos o câmbio era manual de quatro marchas.

Uma coisa que ficou marcada no desempenho do carro na época é que o Passat TS tinha também carburador solex alemão, com duplo estágio, o que acentuava a melhor performance do carro.

passat ts  - reprodução - reprodução
Imagem: reprodução

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.