PUBLICIDADE
Topo

Em conferência global, Volks fala em "reduzir custos" na América do Sul

Volkswagen Taos - Marcos Camargo/UOL
Volkswagen Taos Imagem: Marcos Camargo/UOL

Do UOL

Em São Paulo (SP)

05/03/2021 10h09

A Volkswagen revelou nesta sexta-feira seu plano global para os próximos anos. A principal promessa são menos motores a combustão e uma maior eletrificação de seus veículos, com a meta de que na Europa 70% de suas vendas sejam de veículos elétricos até 2030.

Entretanto, os planos são diferentes para a América do Sul - local no qual a marca sequer toca no assunto eletrificação. Em vez disso, o CEO global da montadora, Ralf Brandstätter, fala em reestruturação para a região após a crise do último ano.

"Nosso foco é nos tornarmos mais resilientes às oscilações do mercado", disse ele sobre o continente.

"Para isso, a VW busca reduzir os custos fixos em 5% até 2023, aumentar a produtividade de fábricas em 5% neste ano e otimizar os custos com materiais em 7% para atingir o ponto de equilíbrio na região".

"Na América do Sul e nos Estados Unidos, a VW espera atingir o ponto de equilíbrio durante este ano fiscal. A expectativa da empresa é atingir rentabilidade após uma queda de volume de 15% na América do Norte e 30% na América do Sul".

Entretanto, a marca não deu maiores detalhes do que exatamente consiste este novo plano para a América do Sul. No início da pandemia, a Volkswagen resolveu parar o desenvolvimento de veículos e cancelar sua aliança com a Ford para produzir a Amarok na Argentina.

O aviso de "reduzir custos fixos" da marca alemã vem após a Ford fechar suas fábricas no Brasil e Renault e Stellantis falarem em reestruturação da folha de pagamentos na América do Sul.