PUBLICIDADE
Topo

Salão de Frankfurt tem venda de clássicos e Mercedes rara de R$ 18 milhões

SSK 1928: roadster tem motorzão 7.1 com 200 cv - Reprodução
SSK 1928: roadster tem motorzão 7.1 com 200 cv
Imagem: Reprodução

Vitor Matsubara

Do UOL, em Frankfurt (Alemanha)*

14/09/2019 07h00

Resumo da notícia

  • Carro antigo mais caro é um Mercedes SSK 1928: R$ 20,4 milhões
  • Existe, porém, negócios mais acessíveis partindo de 30 mil euros
  • Mercedes-Benz e Porsche estão entre as marcas mais cultuadas

Carros elétricos, autônomos e até soluções alternativas de mobilidade dominam o Salão de Frankfurt. Mas ainda há (muito) espaço para o culto aos carros antigos. Eles estão em vários estandes e até circulam entre os 11 (sim, ONZE) pavilhões do evento.

Uma graciosa Volkswagen Kombi estava entre os veículos destinados para o transporte de jornalistas nos dois dias destinados à cobertura da imprensa. Nem é preciso dizer que a perua foi um dos carros mais disputados: além da comodidade de levar até oito passageiros, todo mundo queria tirar uma foto dentro da Kombi decorada no melhor estilo hippie.

VW Kombi Frankfurt - Vitor Matsubara/UOL - Vitor Matsubara/UOL
Kombi transportou jornalistas pelos pavilhões do Salão de Frankfurt
Imagem: Vitor Matsubara/UOL

Além de transportar felizes jornalistas, a perua fazia propaganda da Motor World, uma empresa especializada em exposição e venda de carros clássicos. A sede não poderia estar mais bem localizada: nos arredores de Stuttgart, cidade que abriga as sedes de Mercedes-Benz e Porsche. Nesta edição do Salão de Frankfurt, ela administra a área destinada aos veículos antigos.

Trato feito?

Vou te dar uma dica: nenhuma visita é completa sem uma passada pelo pavilhão 4. É lá que estão algumas dos maiores e mais valiosos clássicos da indústria automotiva mundial. E o melhor de tudo: você pode levá-los para casa.

Claro que é preciso ter uma conta bancária mais gorda para chamar um carro antigo de seu. Mas nem todos são inacessíveis: UOL Carros achou bons negócios partindo dos 20 mil euros, ou aproximadamente R$ 90 mil.

Logo na entrada havia modelos mais acessíveis, como um simpático Fiat 500 dos anos 50. Todo original, ele estava à venda por menos de 30 mil euros. Pouco adiante havia um estande especializado em Porsches das décadas de 70 e 80. Quem desembolsasse 45 mil euros (quase R$ 204 mil) saia de lá com um belo 911, por exemplo.

A AnMark Classic tinha preços mais salgados: um Porsche 911 Targa 1970 totalmente restaurado estava à espera de um novo dono por 229 mil euros. Além das belas rodas Fuchs, o esportivo pintado em um bonito tom de laranja foi a primeira unidade do modelo entregue na Itália.

Se a grana estiver curta dá para se "contentar" com um Mercedes-Benz 190 SL 1960 com garantia de um ano e documentação pronta para registro na Europa. Por 179 mil euros (pouco mais de R$ 810 mil) ele é seu.

Pequena fortuna

As maiores preciosidades, no entanto, ficam nos fundos do pavilhão. A Rosier Classic Sterne tinha um dos carros mais valiosos da feira: um SSK 1928 com pouco mais de mil quilômetros rodados. O estiloso roadster foi fabricado de 1928 a 1932 e tinha um motor 7.1 de seis cilindros em linha, entregando até 200 cv.

O exemplar ofertado tinha um preço tão impressionante quanto seu estado de conservação: 4 milhões de euros, ou algo em torno de R$ 18,2 milhões. Rodamos por todos os estandes e não encontramos um carro mais caro do que o SSK. E olha que havia até Bugatti em exposição...