Topo

Testes e lançamentos


Chevrolet Onix será carro global em nova geração, confirma GM

Imagem do novo Chevrolet Onix com carroceria sedã já vazou na China, onde compacto também será fabricado e vendido - Auto Home
Imagem do novo Chevrolet Onix com carroceria sedã já vazou na China, onde compacto também será fabricado e vendido
Imagem: Auto Home

Do UOL, em São Paulo (SP)

21/03/2019 10h05

Resumo da notícia

  • Criado no Brasil, compacto será feito também na China
  • Hoje disponível apenas na América do Sul, será vendido em 40 países
  • Nova geração estreia este ano, primeiramente no mercado chinês
  • Lançamento no Brasil está previsto para o fim de 2019
  • Novos Onix e Prisma fazem parte de nova família mundial de veículos

Projetado no Brasil e lançado no país em 2012, o Chevrolet Onix vai virar carro global na sua segunda geração, que estreia aqui ainda em 2019. De acordo com comunicado da General Motors, o compacto passará a comercializado em mercados como a China, atualmente o maior do mundo, onde será lançado primeiro. O Onix é o automóvel mais vendido do Brasil há quatro anos consecutivos, somando mais de 210 mil emplacamentos no país durante o ano passado.

Na somatória de todos os sete países onde hoje é vendido (Brasil, (Argentina, Chile, Uruguai, Colômbia, Peru e Paraguai), foram quase 250 mil unidades comercializadas em 2018, posicionando o Onix entre os dez mais vendidos da sua categoria no mundo, de acordo com a GM.

"O nome Onix estará em modelos da nova família de carros globais da Chevrolet, que vão ter características específicas de acordo com as preferências dos clientes em cada mercado. Objetivo é projetar em âmbito mundial a expressão de sucesso do Onix alcançada regionalmente", avalia Carlos Zarlenga, presidente da General Motors América do Sul.

Atualmente, o hatch é produzido em Gravataí (RS) e sua segunda geração também será feita na China, inclusive com carroceria sedã, mantendo o nome Onix -- aqui, essa variação traz a nomenclatura Prisma, que deve ser mantida para nosso mercado. A produção e venda no país oriental não são obra do acaso: sua próxima encarnação será feito sobre a nova plataforma global GEM, desenvolvida em conjunto com a chinesa SAIC e voltada a mercados emergentes. A companhia diz que o projeto teve desenvolvimento e validação "por um time internacional de especialistas, representantes dos clientes de suas respectivas regiões".

Essa base dará origem, na verdade, a uma família global de veículos de "alto volume" a estrear em território chinês. Essa família, informa a fabricante, será vendida em 40 diferentes países, incluindo o México e os mercados sul-americanos onde Onix e Prisma já são comercializados. Serão lançadas oito variantes regionais com cinco diferentes tipos de carroceria, complementa a montadora.

Como será a nova geração

No comunicado, a General Motors se limita a dizer que o Onix e os novos modelos terão visual atrativo, elevada eficiência energética e excelente dirigibilidade, além de mais avançadas tecnologias de conectividade e segurança, "muitas delas inéditas em seus respectivos segmentos".

Unidades de teste dos novos Onix e Prisma já foram flagradas rodando sob camuflagem no Brasil e recentemente começaram a circular imagens da segunda geração do compacto feitas na China.

Visualmente, o novo Onix, tanto hatch quanto sedã, beberão bastante da fonte do Chevrolet Cruze na porção dianteira, seguindo a reestilização já aplicada no sedã médio nos Estados Unidos e que em breve estreia aqui, contando com grade bastante ampla. Já a traseira do novo Prisma (ou Onix Sedan, dependendo do mercado) e assemelha com a de um modelo ainda maior que o Cruze: o Malibu, vendido nos EUA.

É possível perceber, ainda, como alguns detalhes do protótipo do "New Onix" flagrado em primeira mão por UOL Carros batem com elementos das imagens vazadas, especialmente o formato dos retrovisores externos, o caimento do teto e as dimensões aparentemente avantajadas no comparativo com os compactos oferecidos nos dias de hoje pela GM do Brasil.

Segundo informações vindas da China, o novo Prisma terá 4,47 metros de comprimento e 2,60 m de entre-eixos. São, respectivamente, 20 cm e 7 cm a mais em relação ao atual Prisma oferece nessas duas dimensões. Tal informação reforça que as novas gerações terão porte substancialmente maior e, portanto, poderão conviver harmoniosamente com as atuais, nas versões Joy, e possivelmente aposentando o Cobalt.

Motores de 3 cilindros e turbo

Enquanto Onix e Prisma chineses contarão com motores 1.3 naturalmente aspirado de 103 cv e 1.0 turbo de 116 cv, por aqui a aposta será em uma família de propulsores totalmente nova, a ser produzida em Joinville (SC). A reportagem apurou que se trata de um quarteto de motores, todos 3-cilindros e conhecidos internamente pelo codinome "CSS Prime" (sendo "CSS" uma sigla em inglês que significa, em tradução livre, algo próximo a "Estratégia de conjunto de cilindros").

Toda a lista de compactos construída a partir da matriz GEM, incluindo os próximos Onix e Prisma, usará duas ou três dessas quatro unidades: 1.0 aspirada, próxima a 90 cv e substituta da atual 1.0 4-cilindros SPE/4; 1.0 turbo, com aproximadamente 120 cv e ocupando posição inédita na gama; 1.2/1.3 aspirada, perto de 105 cv e entrando no lugar do motor 1.4 4-cilindros SPE/4; 1.2/1.3 turbo, aproximando-se de 150 cv como opção ao 1.4 4-cilindros turboflex da família Ecotec.

Enquanto as três primeiras opções estrearão no fim de 2019, junto com a nova dupla de compactos, o propulsor 1.2/1.3 turbo será deixado para a segunda metade de 2020 e deve estrear junto com um SUV. Todos eles serão flex. A unidade de 1 litro, seja aspirada ou turbo, é derivada de um motor 3-cilindros de origem Opel com simplificações. Já o 1.2/1.3 é um projeto inédito e, em seu caso, ainda não está claro se sua capacidade cúbica será oficialmente determinada como 1,2 ou 1,3 litro.

Caixas de câmbio devem ser mantidas: manual ou automática de seis marchas.

Mais Testes e lançamentos