PUBLICIDADE
Topo

Hyundai e Kia convocam 2,4 milhões de carros com chance de incêndio nos EUA

Kia Soul 2016 é um dos modelos afetados em recall gigante nos EUA - Divulgação
Kia Soul 2016 é um dos modelos afetados em recall gigante nos EUA
Imagem: Divulgação

Associated Press

Em Detroit (EUA)

01/03/2019 11h10

Resumo da notícia

  • Outros 3,7 milhões estão sujeitos a uma campanha de "melhoria do produto"
  • Kia Soul, Kia Sportage e Hyundai Tucson estão envolvidos na negociação
  • Autoridades americanas investigam porque empresas negaram falhas a princípio

Hyundai e a Kia adicionaram mais de 500 mil veículos a uma sequência de três anos e meio de recalls por conta de falhas de motores e incêndios nos Estados Unidos.

Três recalls divulgados na quinta-feira pelo governo acrescentam novos problemas e mais veículos à lista de falhas de segurança das montadoras coreanas, que trouxeram centenas de reclamações sobre incêndios nos EUA.

As empresas já convocaram cerca de 2,4 milhões de veículos por problemas de incêndio e falha de motores desde setembro de 2015, e estão sob investigação da NHTSA (a administração de segurança viária norte-americana), por lentidão no recall e reparo dos veículos defeituosos.

Além disso, as empresas estão fazendo uma "campanha de melhoria de produtos", cobrindo outros 3,7 milhões de veículos para instalar software que alertará os motoristas sobre possíveis falhas no motor e enviará os carros para um "modo de velocidade reduzida" se forem detectados problemas.

O maior dos três recalls postados no site da NHTSA abrange quase 379.000 unidades do Kia Soul de 2012 a 2016 com motor de 1,6 litro.

Documentos mostram que altas temperaturas dos gases de escape podem danificar os conversores catalíticos, que controlam as emissões de poluentes. Isso pode causar combustão anormal e danificar os pistões e as bielas. Uma haste de conexão com falha pode perfurar o bloco do motor e causar vazamentos de óleo que podem causar incêndios.

Além disso, Hyundai e Kia estão recolhendo 152.000 unidades dos SUVs Tucson (2011 a 2013) e Sportage (2011 e 2012) para consertar um vazamento de óleo que também pode causar incêndios.

Documentos mostram que Kia estava investigando incêndios no Soul depois que o Center for Auto Safety, uma ONG especializada em segurança automotiva, solicitou ao governo que investigasse os incêndios no ano passado. Em novembro, a montadora não encontrou nenhuma resposta para o problema de segurança, mas continuou monitorando os dados de reparo e encontrou o problema com os conversores catalíticos.

Todos as unidades do Soul com motores de 1,6 litro feitos de 8 de julho de 2011 a 11 de agosto de 2016 estão sendo recolhidos. Concessionários irão substituir um computador que impede o conversor catalítico de superaquecer. Eles também substituirão o catalisador e o motor, se tiverem sido danificados. As cartas serão enviadas aos proprietários a partir de 12 de abril.

Nos recalls de Tucson e Sportage, a correção para o problema do cárter de óleo ainda está sendo desenvolvida. Os proprietários da Hyundai serão notificados a partir de 29 de março, enquanto os proprietários da Kia receberão cartas a partir de 10 de abril.

Em uma carta aos legisladores enviada na quarta-feira, o Center for Auto Safety solicitou uma ação do Congresso para responsabilizar a Hyundai e a Kia por não consertar milhões de veículos propensos ao fogo. O centro disse que o governo tem mais de 300 queixas de incêndio da Hyundai-Kia, o que é alto em comparação com veículos semelhantes.

Mensagens foram deixadas na quinta-feira em busca de comentários dos funcionários da Hyundai e da Kia.

"Esse recall do Kia Soul, que chega antes tarde do que nunca, pode finalmente solucionar essa falha que causa incêndios", disse Jason Levine, diretor executivo do centro. "No entanto, é de se perguntar por que a reação inicial de Kia foi negar a validade de nossa petição, especialmente porque houve dezenas de relatos de incêndios envolvendo esses veículos durante todo o verão".

Levine disse que Kia negou os problemas de incêndio com a Soul e questionou por que a empresa está resistindo a recalls de outros veículos que são propensos a incêndios.

Em um documento sobre o recall, a NHTSA afirmou ter agendado uma reunião com a Hyundai para discutir a investigação de incêndio e falha de motor, mas a reunião teve que ser cancelada devido ao desligamento parcial do governo. Os documentos não dizem se ocorreu desde o término do desligamento. Mensagens foram deixadas para uma porta-voz da NHTSA.

Os documentos da última rodada de recalls não mencionam se houve incêndios ou ferimentos. Em janeiro, a Kia informou que havia seis relatos de incêndios entre os veículos que estavam sendo recolhidos por possíveis vazamentos de combustível, enquanto a Hyundai disse que não tinha registros de incêndio. Nenhuma das empresas tinha relatos de feridos.

Levine disse que as queixas de incêndio para a NHTSA vieram de todo o país, incluindo uma morte em Ohio em abril de 2017.