PUBLICIDADE
Topo

Coreia do Sul proíbe circulação de 20 mil BMW por risco de incêndio

Veículos da BMW aguardando inspeção de segurança no pátio de um colégio de Seul (Coreia do Sul) - AP Photo/Ahn Young-joon
Veículos da BMW aguardando inspeção de segurança no pátio de um colégio de Seul (Coreia do Sul)
Imagem: AP Photo/Ahn Young-joon

Do UOL, em São Paulo, com Reuters

16/08/2018 13h35

Veículos serão impedidos de circular porque motores a diesel podem pegar fogo; 27 casos já foram registrados no país

O Ministério dos Transportes da Coreia do Sul anunciou nesta semana que vai proibir a circulação de cerca de 20 mil carros da BMW devido a riscos de que os motores desses carros peguem fogo.

Apenas entre janeiro e julho deste ano foram identificados 27 casos de incêndio em modelos da marca alemã no país. O caso levou a fabricante a pedir desculpas públicas na semana passada e a anunciar um recall envolvendo 106 mil automóveis e comerciais leves movidos a diesel.

Veja mais

Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Obviamente, os 20 mil carros afetados pela decisão do governo sul-coreano fazem parte da campanha. De acordo com o governo, eles foram banidos porque "ainda não passaram por inspeções de segurança".

"Apesar do inconveniente, peço que os proprietários cooperem a fim de evitar grandes acidentes", declarou o ministro coreano de Transportes, Kim Hyun-Mee, durante a coletiva de imprensa em que anunciou a medida.

O ministro ressaltou ainda que o objetivo do banimento é estimular proprietários a procurarem mais rapidamente por reparo, e não simplesmente para punir a BMW ou os compradores dos veículos. Ainda segundo ele, donos dos carros impedidos de circular poderão dirigi-los até os locais de inspeção e reparo.

Kim Hyun-Mee também afirmou que a decisão entra em vigor ainda esta semana. O governo enviará uma notificação por e-mail aos donos dos automóveis.

Engenheiros da BMW apontaram que a causa problema está em um defeito no sistema de recirculação de gases do escapamento. Entretanto, o governo sul-coreano ainda não reconhece a versão como sendo verdadeira, pois conduz uma investigação separada a respeito. A montadora germânica pode, inclusive, sofrer sanções jurídicas pelo problema.