PUBLICIDADE
Topo

Sergio Marchionne deixa comando da Fiat-Chrysler por problemas de saúde

Sergio Marchionne, agora ex-diretor-executivo da FCA - Piero Cruciatti/AFP
Sergio Marchionne, agora ex-diretor-executivo da FCA
Imagem: Piero Cruciatti/AFP

Do UOL, em São Paulo (SP)

23/07/2018 08h58

Executivo liderava empresa desde 2004 e teve complicações pós-cirurgia; Mike Manley, CEO da Jeep, assume cargo

Um grave problema de saúde afastou Sergio Marchionne do comando da FCA (Fiat Chrysler Automobiles).

“A FCA comunica com profundo pesar que, no decorrer desta semana, Marchionne sofreu complicações inesperadas durante a recuperação de uma cirurgia (realizada no ombro), e elas pioraram seriamente nas últimas horas. Como consequência, Marchionne não poderá retomar o trabalho”, informou o grupo italiano em nota oficial.

Uma reunião de emergência foi convocada neste fim de semana pela alta cúpula da FCA para determinar o sucessor de Marchionne. O escolhido acabou sendo Mike Manley, até então diretor-executivo da Jeep, atualmente a marca mais rentável do grupo.

Veja mais

+ Fiat Argo faz 1 ano; veja o que donos estão achando
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Líder nato

Marchionne tem 66 anos e estava à frente da Fiat desde 2004. O italiano foi um dos responsáveis pela recuperação da fabricante italiana e de suas marcas subsidiárias neste período. O executivo liderou também a aquisição do grupo Chrysler (formado pelas marcas Chrysler, Dodge, Jeep e RAM) em 2014, dando origem à FCA.

Personalidade quase folclórica da indústria automobilística, ele já se preparava para deixar o comando da empresa em 2019. Antes disso, participou de um grande evento na Itália no início de junho, no qual foram revelados os planos das principais marcas da FCA para os próximos anos.

Aposta no Brasil

Marchionne esteve no Brasil por duas vezes nos últimos anos, participando da inauguração da fábrica da Jeep em Goiana (PE) e do lançamento mundial do SUV Compass, que estreou por aqui antes mesmo dos Estados Unidos.

O executivo vê o mercado brasileiro como parte importante no plano de crescimento da FCA, principalmente pelos bons resultados de Fiat e Jeep.

Outros sucessores

Além do comando da FCA, Marchionne também deixou o comando da Ferrari (marca que não faz mais parte do grupo desde 2016) e da fabricante de tratores CNH Industrial. Seus substitutos serão, respectivamente, Louis Carey Camilleri (ex-presidente da Philip Morris) e Suzanne Heywood.