PUBLICIDADE
Topo

Primeira Classe

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Fiat Pulse: com tantos SUVs, quais são seus verdadeiros concorrentes?

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colunista do UOL

25/10/2021 04h00

O Pulse é um dos lançamentos mais aguardados do ano, e não apenas por ser o primeiro SUV da marca líder do Brasil, a Fiat. O carro também é um modelo inédito na categoria de utilitários-esportivos compactos, hoje a mais relevante do mercado nacional.

Só que esse segmento ganhou tantos novos integrantes nos últimos anos que fica difícil entender quem é concorrente de quem. E tem marca que oferece mais de um SUV compacto.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

O principal exemplo vem da montadora vice-líder de mercado, a Volkswagen. Primeiro, a marca lançou o T-Cross. Depois, veio o Nivus, posicionado levemente abaixo.

A Honda saiu antes da VW, com o HR-V e o WR-V. E há ainda a Caoa Chery, que oferece nada menos que três SUVs compactos no mercado brasileiro - o pioneiro Tiggo 2, o Tiggo 5X e o Tiggo 3X, lançado neste ano.

Na China, o 3X é a nova geração do 2. Aqui, os dois modelos convivem. Nesse panorama, com quem o Fiat Pulse concorre, afinal?

Rivais do Fiat Pulse

Durante o lançamento do carro, a Fiat apontou, na apresentação do produto, uma comparação com o Volkswagen Nivus e o Nissan Kicks. Esses dois concorrentes eleitos chamaram a minha atenção.

Afinal, o Kicks está mais para Volkswagen T-Cross que para Nivus. Tem mais porta-malas e espaço interno. Perguntei ao chefe da Fiat, Herlander Zola, a razão da comparação com esses dois modelos.

A resposta? Nivus e Kicks são apenas referências, pois a Fiat não traçou seu plano pensando em um determinado concorrente, e sim em todo o segmento de SUVs. Para Zola, é o mercado que vai ditar quem é o principal rival do Pulse, não a marca.

Mas o fato é que, pensando em rival direto, o Pulse é concorrente do Nivus. E, para entender o novo modelo da Fiat, conhecer a estratégia do VW é um ótimo início.

O Nivus foi criado para ser o SUV de quem quer sair do segmento de hatches compactos, mas ainda não pode, ou não precisa, levar para casa um T-Cross.

Nos bastidores da indústria, o Nivus é o que chamamos de SUV subcompacto. Ele até tem um porta-malas legal, mas o espaço interno é inferior ao da maioria dos demais SUVs.

Seu cliente é, no geral, jovem. Não é aquele cara que tem família cheia de filhos. É solteiro, casado sem filhos ou, no máximo, com uma ou duas crianças pequenas.

Com mais que isso, o Nivus já não atende. O alvo passa a ser o T-Cross. Por isso, o SUV menor é bem focado em tecnologia e design, atributos valorizados por seu público.

O Nivus é a alternativa a quem não quer mais um hatch, no contexto em que os hatches estão fora de moda e os SUVs são a bola da vez. Tanto que as vendas do T-Cross nem se abalaram com a chegada do novo carro, no ano passado. As do Volkswagen Polo, por sua vez, despencaram.

Com o Pulse, não há como pensar o contrário: a proposta é idêntica. O porta-malas tem apenas 370 litros e o espaço interno está longe de chamar a atenção.

Quem não quer mais o Fiat Argo agora tem o Pulse, e uma variedade de cinco versões para escolher. São dois motores (1.3 aspirado e o novo 1.0 turbo de 130 cv), dois câmbios (manual e CVT) e preços de R$ 79.990 a R$ 115.990.

O Pulse então é um Argão? Não é. A plataforma MLA é completamente nova e ele tem vão livre do solo de 22,5 cm, mais que a maioria dos modelos maiores e mais espaçosos. Além disso, a tração é dianteira, mas ele traz um sistema de distribuição de torque e ABS off-road para ganhar uma leve aptidão para estradas de terra (leves).

Ele é, literalmente, uma das entradas para o segmento de SUVs. O carro que os antigos clientes de hatches talvez possam ter.

Vai ou não vai ser líder?

Fiat Pulse 200 Impetus - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

A Fiat almeja a liderança da categoria. Porém, quando olhamos para Nivus e WR-V, rivais mais diretos, isso pode parecer algo difícil, até impossível.

O WR-V nunca teve grande repercussão no mercado, principalmente quando comparado a um campeão como o Honda HR-V. O Nivus vai bem e até faz seus movimentos, mas no fim do dia acaba quase sempre ficando atrás do T-Cross.

Mas, diferentemente de Nivus e WR-V, e contrariando a regra, eu acredito que o Pulse tenha sim chances de ficar com a liderança. Em primeiro lugar está o fato de ser um SUV Fiat.

A marca voltou à liderança, entre outras razões, por ser a que mais bem conseguiu lidar com a crise da falta de semicondutores, que afeta a produção da indústria. É a que mais tem produtos para entregar.

Além disso, o Pulse não tem concorrência direta, por enquanto, dentro da própria marca. Se o cliente vai à concessionária VW em busca do Nivus, mas precisa de espaço e porta-malas, pode acabar sendo convencido a levar o T-Cross por um valor extra na parcela do financiamento.

Com o Pulse, não há esse "problema". Ele não divide vendas com ninguém. Já é certo que a Fiat terá um segundo SUV, e é provável que seja um modelo com mais cara de T-Cross, Kicks, Hyundai Creta e cia.

Enquanto esse produto não vem, são maiores as possibilidades de o Pulse ser o SUV compacto mais vendido do Brasil.

Fora isso, graças às configurações com motor 1.3 aspirado, vai atender clientes que outros SUVS não atendem - nem mesmo o Nivus. Ficou com preços mais competitivos e mais "amigos" dos clientes de hatches.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL