PUBLICIDADE
Topo

Road trip: trilhas off-road e trekking para explorar a Serra da Mantiqueira

Pico do Diamante, a 10 km do centro de Campos do Jordão - Rafaela Borges/UOL
Pico do Diamante, a 10 km do centro de Campos do Jordão Imagem: Rafaela Borges/UOL
Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colunista do UOL

28/08/2020 04h00

A seção sobre viagens de carro retorna após cinco meses de paralisação, por causa da pandemia. Aos poucos, hotéis vão reabrindo, e uma nova maneira de viajar vem sendo adotada nesse período cautela: as road trips com foco no turismo de aventura.

A região da Serra da Mantiqueira é um dos locais que mais privilegiam o turismo com foco nas atividades ao ar livre. A cidade turística mais conhecida da região, Campos do Jordão, é famosa pelos bares, restaurantes e centros de compras do bairro do Capivari. Mas, em tempos de pandemia, o foco de quem visita o local tem sido outro: aventura.

Fiz uma road trip para a região da Serra da Mantiqueira, explorando em trilhas off-road de carro diversos picos, e chegando também a locais como grutas e cachoeiras. Mas nem só de carro se alcança locais remotos e de paisagem exuberante. Há também trilhas de moto e caminhadas (trekking).

Além de Campos de Jordão, a região da Serra da Mantiqueira tem outros pontos turísticos importantes, tanto em São Paulo quanto em Minas Gerais. Há Santo Antonio do Pinhal, São Bento do Sapucaí e Monte Verde.

Viagem de São Paulo à Serra da Mantiqueira

Os aeroportos importantes mais próximos da região da Serra da Mantiqueira são o de Congonhas, em São Paulo, ou Cumbica, em Guarulhos. Para quem sai da capital paulista ou da cidade vizinha, o melhor caminho é pelas rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto.

Há opção pela Via Dutra, mas ela é mais movimentada, repleta de caminhões. A dupla Ayrton Senna/Carvalho Pinto é bem menos movimentada. A velocidade máxima na maioria dos trechos é de 120 km/h.

Ambas têm pista dupla e muito bem pavimentada, com misto de retas e curvas leves. Por 120 km, dirige-se até o Vale do Paraíba. São cerca de 120 km até Tremembé. Há quatro pontos de pedágio tanto na ida quanto na volta. Os preços variam de R$ 3,60 a R$ 3,70 por praça.

Pedra do Baú é onipresente na região - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Pedra do Baú é onipresente na região. Imagem da pousada Quinta dos Pinhais
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Nos 120 km, também nos dois trechos, o motorista encontra três postos de serviço, com estações para reabastecimento, banheiros e restaurante.

Em Tremembé, o viajante segue pela rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro. De lá, são cerca de 50 km até Campos do Jordão, a primeira parada da viagem. A pista é simples, mas para a subida da serra (São Paulo a Campos do Jordão), há duas faixas. Na descida, apenas uma.

A maior parte da rodovia é percorrida pela Serra da Mantiqueira. Há muitas curvas e uma exuberante paisagem serrana nos arredores. A velocidade varia de 80 km/h a 60 km/h. Não há pedágios.

Defender foi carro de apoio em trilha feita com Mercedes-Benz GLE - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Defender foi carro de apoio em trilha feita com Mercedes-Benz GLE
Imagem: Rafaela Borges/UOL
De Campos do Jordão a Santo Antonio do Pinhal, a segunda base da viagem (leia detalhes abaixo), são cerca de 20 km. É preciso acessar a Floriano Rodrigues Pinheiro em direção a São Paulo e, cerca de 5 km depois, uma via estadual conhecida como Estrada da Cerejeira.

Belíssima, com muitas curvas e rodeada por vegetação nativa, ela tem velocidade máxima de 50 km/h. Assim como as demais estradas e rodovias do trajeto, é repleta de radares.

Trilhas off-road de carro na Serra

Para desbravar picos, serras e outros lugares de paisagem belíssima na Serra da Mantiqueira, escolhemos um novíssimo Mercedes-Benz GLE 400d. O SUV a diesel tem tração integral por demanda, mas não usa pneus off-road, nem mesmo mistos. São pneus para o asfalto.

Araucária - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Araucária é destaque da vegetação da região
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Mas nem precisaria. Nosso roteiro foi preparado pela empresa Latitude 4x4 (11 99733-5181), que promove passeios off-road leves para grupos - preços partem de R$ 200 por carro. Pneus off-road ou mistos não são exigidos, pois as trilhas são leves. Tração nas quatro rodas, no entanto, foi essencial em nosso programa.

A primeira parada foi o Pico do Diamante, a cerca de 10 km do centro de Campos do Jordão. A estrada de terra bem conservada é uma trilha leve de pouco mais de 3 km, que pode ser feita em 10 minutos, aproximadamente, em um carro com boa altura livre do solo. Para passar por ela, não é necessário ter um veículo com tração 4x4.

No Pico do Diamante, há uma vista panorâmica para todo o Vale do Paraíba, logo abaixo da Serra da Mantiqueira. Em dias de pouca neblina, dá para ver até mesmo a cidade de Aparecida, quase no Estado do Rio de Janeiro. Aliás, para fugir da neblina, o ideal é ir depois das 10h.

Pico do Imirim - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Pico do Imbiri
Imagem: Rafaela Borges/UOL
O segundo ponto foi o Pico do Imbiri, no qual há também uma vista panorâmica, desta vez para toda a cidade de Campos do Jordão. Os dois picos ficam a cerca de 1.850 metros de altitude.

A trilha que leva ao Pico do Imbiri é um pouco mais desafiadora. Para ela, nada de carros 4x2. Há alguns trechos com erosão - e por isso, ir sem um guia já é um pouco mais arriscado. Foram 20 minutos de trilha, em mais de 5 km.

Gruta dos Crioulos - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Gruta dos Crioulos
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Saindo do Pico do Imbiri, partimos para outra trilha com nível de dificuldade semelhante para chegar à Gruta dos Crioulos. Trata-se de um conjunto de belas pedras, mas que tem história triste para contar. Por lá, se refugiavam escravos que fugiam das plantações no Vale do Paraíba.

Vista para a Pedra do Baú - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Vista para a Pedra do Baú
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Saindo da Gruta dos Crioulos, partimos para uma trilha que oferece uma visão panorâmica para a Pedra do Baú, em São Bento do Sapucaí. Este é um dos pontos mais belos e visitados da região, e pode ser visto de diversos pontos não apenas em Campos do Jordão, mas em toda a Serra da Mantiqueira.

Serra da Luminosa e Caminho da Fé

Existe um caminho de peregrinação feito até Aparecida que passa por pontos da Serra da Mantiqueira. Conhecido como Caminho da Fé, fica na Serra da Luminosa, na divisa entre São Paulo e Minas Gerais.

Serra da Luminosa - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Serra da Luminosa
Imagem: Rafaela Borges/UOL
A divisa, aliás, tem placa de sinalização no caminho off-road. Para acessá-lo, é preciso percorrer estradas asfaltadas belíssimas por 20 minutos a partir do centro de Campos do Jordão, em direção a São Bento do Sapucaí.

No trecho de estrada de terra ainda em São Paulo, a mata é fechada e a trilha é bem leve. Após a divisa, começa a ficar mais complicada, com muitas pedras. É preciso percorrê-la em velocidade bem baixa.

A mata se abre e a vista panorâmica passa a ser espetacular, com a Serra da Luminosa contornando a estrada que passa por diversos sítios e fazendas de gado. O ponto máximo para se percorrer, a partir de Campos do Jordão, é o bar Oásis da Serra, especializado em trutas (um dos carros-chefes gastronômicos da região) e cervejas artesanais.

Fim de tarde no Caminho da Fé - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Fim de tarde no Caminho da Fé
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Dali em diante, a missão já é para carros com sistema de tração e pneus mais apropriados para off-road. Mas conseguimos uma carona com o pessoal do bar, com veículo apropriado, à essa área, para chegar ao mirante que promove uma linda vista para a cidadezinha de Luminosa, em Minas Gerais.

As subidas e descidas no caminho, no entanto, são bastante difíceis de transpor sem um veículo verdadeiramente off-road.

Dicas para trilhas off-road

Eu não sou muito adepta a fazer trilhas, mesmo as leves, sem um profissional para me orientar. Ter esse apoio é algo importante para quem quer desbravar esses caminhos, mas não é especialista em off-road.

O principal problema é a localização. Há navegadores específicos para trilhas, que funcionam sem internet, situação recorrente no off-road. Não é o caso dos apps usados em telefones celulares e na maioria dos veículos.

Ainda assim, para quem quer encarar trilhas sem orientação, o primeiro passo é se orientar no local (pergunte no hotel ou pousada) sobre a condição do caminho. Eles não são sempre os mesmos. O grau de dificuldade pode mudar bastante a partir de fatores como a ocorrência de chuvas.

Outro cuidado importante é sempre ter pelo menos dois carros em trilhas. Caso algum incidente ocorra, a comunicação para pedido de socorro pode ser bastante complicada, por causa da falta de sinal de celular.

Trekking

Trekking em Campos do Jordão - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Trekking em Campos do Jordão
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Para quem prefere atingir picos, passar por cachoeiras e abandonar as quatro rodas, há diversas opções de trilhas para fazer caminhando (trekking). Percorremos os 2 km da Trilha Mata Comprida, em um programa preparado pela Aventoriba (12 99747-1332), do hotel Toriba.

Na trilha leve, há poucas subidas e descidas na maior parte do trecho. A mata é fechada, com araucárias (árvore típica da região) centenárias, observação de pássaros e uma cachoeira no caminho.

Mata Comprida - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Por do Sol na trilha da Mata Comprida
Imagem: Rafaela Borges/UOL
O ponto final é o alto de uma montanha (por isso, prepare-se para uma subida pesada no final), com vista para Campos do Jordão. Por lá, é acesa uma fogueira e preparado um piquenique com queijos, vinhos e sanduíches, ao por do sol.

O programa completo custa R$ 250 para adultos. De acordo com a Aventoriba, crianças a partir de dois anos podem participar. Há outras opções, como uma escalada à Pedra do Baú.

Hospedagem

Escolhemos dois hotéis com perfis diferentes para hospedagem. Ambos são afastados do centro, já que o objetivo não era explorar atrações da cidade, e sim ficar em contato com a natureza.

Hotel Toriba - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Hotel Toriba
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Em Campos do Jordão, o Toriba é o hotel em localização mais alta do Brasil, a 1.800 metros de altitude. Rodeado pela Mata Nativa, foi fundado em 1943 e, nos últimos seis anos, vem passando por renovação.

A hospedagem no hotel de luxo foi em um dos quartos do prédio principal, com banheiro de mármore, armários vintage e uma sacada com vista panorâmica das araucárias dos extensos jardins que rodeiam a propriedade. Os preços partem de R$ 600.

Mesas externas no restaurante do hotel Toriba - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Mesas externas no restaurante do hotel Toriba
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Mas há também chalés construídos recentemente, que usam muitos materiais sustentáveis e ficam no meio dos jardins do hotel. Todos com vistas panorâmicas, partem de R$ 1.050. Bem focado em famílias com crianças, o hotel tem muito entretenimento para os pequenos, com monitores que elaboram diversas atividades durante todo o dia e uma fazendinha em que animais são criados soltos.

O Toriba tem diversos restaurantes, especializados em culinária internacional, fondue e sanduíches. Spa, piscina, bar de charutos e áreas com exposição de obras de arte também são atrações.

Já a luxuosa pousada Quinta dos Pinhais até aceita crianças, mas há pouco que elas possam fazer por lá. O foco da propriedade são os casais.

Minigolfe com vista para a Pedra do Baú - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Minigolfe com vista para a Pedra do Baú
Imagem: Rafaela Borges/UOL
A Quinta dos Pinhais fica em Santo Antônio do Pinhal, próxima ao famoso Pico Agudo, montanha a 1.634 metros de altitude conhecida pela prática de voo livre. São 240 mil metros quadrados de uma propriedade que fica no meio de um cenário de sonhos, com vistas incríveis para a Serra, inclusive a Pedra do Baú.

Por lá, há atividades como pesca no lago, quadra de tênis, minigolfe e cavalgadas. Um lounge com piano e o restaurante de estilo rústico Bistrô Bernadette, especializado em trutas são outras atrações, assim como a piscina e o spa.

pousada quinta dos pinhais - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
pousada quinta dos pinhais
Imagem: Rafaela Borges/UOL
A pousada tem 15 chalés, de 50 a 200 metros quadrados, com preços a partir de R$ 1.535 a diária. Minha hospedagem foi na Vivenda Pinhal, de 200 metros quadrados, com dois andares, piscina, sauna, ofurô e até adega. Custa R$ 2.965 por dia.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.