PUBLICIDADE
Topo

Por que Cayenne Coupé e Q8 têm a mesma 'alma', mas são tão diferentes

Audi Q8 - Murilo Góes/UOL
Audi Q8 Imagem: Murilo Góes/UOL
Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colunista do UOL

06/07/2020 04h00

Eles foram lançados no Brasil no fim do ano passado e fazem parte de um dos segmentos mais novos do mercado, o de SUVs cupês. As semelhanças entre Audi Q8 e Porsche Cayenne Coupé não param por aí.

Carros de marcas que fazem parte do Grupo Volkswagen, os dois SUVs dividem plataforma - que, a propósito, é também a mesma do Urus, da Lamborghini, outra montadora integrante do conglomerado. Têm também o mesmo conjunto motor-câmbio.

Era de se esperar que Cayenne Coupé e Q8 fossem praticamente o mesmo carro com visuais e logotipos diferentes. Na prática, não é isso que acontece. O comportamento dos dois SUVs cupês são quase opostos.

Com motor 3.0 V6 turbo de 340 cv e câmbio automático de oito marchas, os SUVs têm diferença na tração integral. A do Q8 é permanente, enquanto a do Cayenne é por demanda. Mas não é só isso que ajuda a explicar a aptidão esportiva, de vez em quando até indócil para os padrões de um SUV, do Porsche, ante a pegada mais confortável e mansa do Audi.

Como se comportam Q8 e Cayenne Coupé

A atmosfera da cabine do Q8 é puro luxo. Não é tão diferente no Cayenne Coupé, mas ao entrar no carro já se tem uma sensação bem diferente. Os dois painéis são virtuais, o do Audi totalmente configurável e o do Porsche com o conta-giros analógico e fixo no meio.

Cayenne Coupé - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação
No Cayenne, a parte dedicada ao motorista é bem semelhante à do 911. O Q8 também segue o padrão sofisticado de outros modelos da Audi.

Mas a principal diferença está na hora de dirigir os dois carros. Como andei antes no Q8, ao começar a avaliar o Cayenne Coupé achei que não encontraria um carro com ímpeto de Porsche. Já havia acelerado as versões S e Turbo no lançamento mundial, na Áustria (essas configurações não estão disponíveis no Brasil), e imaginei que a V6 fosse apresentar desempenho bem inferior.

No Q8, a sensação a bordo é de conforto puro, com uma absorção impressionante dos impactos ante o piso, mas sem grande emoção na aceleração. Já o Cayenne Coupé surpreende quando se aciona com força o pedal da direita, situação em que se comporta como um verdadeiro Porsche.

Não é só agilidade. Guiar um Cayenne Coupé é ter a sensação de estar em um carro bem mais baixo, cuja carroceria não apresenta nenhuma rolagem em curvas. A direção tem precisão milimétrica.

Por outro lado, estar em um Q8 é rodar sobre trilhos. Enquanto isso, o Cayenne Coupé é até um pouco desconfortável para os padrões de um SUV.

Por que eles têm temperamentos diferentes

Cheguei a imaginar que os dois modelos usassem câmbios diferentes. Engano. O do Cayenne não é o tradicional PDK da Porsche. É o mesmo ZF usado pelo Q8.

Mas eles certamente têm ajustes diferentes. Ao olhar a ficha técnica, você vai descobrir que o Audi e o Porsche aceleram de 0 a 100 km/h em tempos próximos, cerca de 6 segundos. É na retomada que o Cayenne entrega um ímpeto que o Q8 não tem.

O Audi oferece, nessas situações, uma aceleração mais gradual, tranquila, sem sustos. Não é lento, mas não está muito preocupado em impressionar no quesito agilidade.

Para ressaltar a esportividade, o Porsche oferece uma função que dá mais ímpeto às acelerações por 20 segundos. Nessa situação, vira uma máquina de acelerar.

O ajuste da suspensão do Porsche é voltado à esportividade, e a boa aptidão para fazer curvas. A do Q8 privilegia a boa absorção de impactos. O Cayenne Coupé também investiu bastante na redução do centro de gravidade, que fica ainda mais baixo com um pacote que inclui teto de fibra de carbono.

E os preços? A Porsche pede R$ 459 mil pelo Cayenne Coupé. A marca ainda não fez reajuste em sua tabela após a alta do dólar.

Já o Q8 parte de R$ 471.990 para os exemplares da linha 2019. Os modelos 2020 já receberam aumento na tabela: R$ 539.900.

Faltou falar sobre outra coisa que eles têm em comum. Grandalhões, dão um trabalho e tanto na hora de estacionar. Também não é tranquilo passar com esses SUVs largos por ruas estreitas e de mão dupla.