PUBLICIDADE
Topo

Jorge Moraes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Mustang Mach 1: por que Ford acertou em cheio ao trazer esportivo para cá

Divulgação/Ford
Imagem: Divulgação/Ford
Conteúdo exclusivo para assinantes
Jorge Moraes

Jornalista, Jorge Moraes trabalha com o segmento automotivo desde 1994. Presente nos principais salões internacionais, é editor do caderno de Carros no Diário de Pernambuco, diretor e apresentador do programa Auto Motor na Band, e âncora do programa CBN Motor na rádio CBN Recife.

Colunista do UOL

03/07/2021 04h00

Dentro ou fora das pistas, o Mustang Mach 1 é a melhor opção entre os muscle cars da Ford já emplacados no Brasil. O esportivo também é o mais caro, custando R$ 523.950 com a entrega do V8 5.0 de 483 cv de potência e 17 cavalos a mais. Considere o mesmo torque de 57 quilos.

Série limitada de produção, dirigimos o carro no Autódromo de Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), palco da Stock Car e da Porsche Cup. Quer saber mais? Acompanhe comigo os detalhes.

Essa é a quarta geração do Mach 1 e vou traduzir para vocês o que significa o nome: Mach 1,00 é igual à velocidade do som, ou seja, 1.216 km/h ao nível do mar. Claro que o Mustang não chega a isso, mas atinge os 250 Km/h limitados eletronicamente.

Depois de 17 anos desde a sua última atualização, o Mach 1 conta com essa calibrada mecânica que sinceramente fica imperceptível na pista. Vale mais o design exclusivo, aerodinâmica refinada e vários aprimoramentos de peças compartilhadas com os de icônicos Bullitt, Shelby GT350 e Shelby GT500, incluindo sistema de arrefecimento do diferencial traseiro e radiador da transmissão. O Mach 1 é um pé fora da linha Performance da Ford.

A opção é a primeira do Mustang a receber o aplicativo FordPass Connect, finalmente mais tecnologia, como as funções remotas do veículo, destravamento das portas e contato. O sistema de som tem a assinatura B&O, Bang Olufsen de 12 falantes e pode ser considerado um estouro. A tela de oito polegadas oferta Carplay e Android Auto.

O Mach 1 é limitado, como já disse, mas não existe essa de contagem dos números, porque é por tempo de produção. O primeiro lote de 80 unidades desapareceu em um dia e os entusiastas entenderam que a substituição do Black Shadow no Brasil seria bem feita.

Debaixo do capô o esportivo recebeu o motor Coyote V8 5.0 e transmissão automática de dez velocidades, bem acertada, com o propulsor capaz de desenvolver 483 cavalos de potência e 56,9 kgfm de torque.

De acordo com a marca, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 4,3 segundos e a velocidade máxima é de 250 km/h, limitada eletronicamente. Deveria ser menos de 4 segundos? Sim, mas significaria algo para você? A frenagem é firme com assinatura Brembo e, para reforçar dentro do veículo, oito bolsas infláveis.

O Mach 1 tem também um novo conversor de torque, com trocas mais rápidas, e componentes de alta performance. Entre eles estão a barra antitorção e o sistema de indução de ar "open air box" do Mustang Bullitt. Isso você percebe quando começa a "esticar" o carro no autódromo.

O coletor de admissão, o corpo de borboletas maior, o sistema de arrefecimento do motor e o radiador da transmissão vêm do Shelby GT350. Já o escapamento, o difusor traseiro, o conjunto de braços e buchas da suspensão traseira e o sistema de arrefecimento do diferencial traseiro são compartilhados com o Shelby GT500. Falei que o Mach 1 é passe de acesso para a turma de cima.

A cabine tem cockpit, com forte influência aeronáutica e focada na ergonomia. Os comandos na direção e no painel de instrumentos, o câmbio e o console central contribuem para essa fuselagem de avião, a Ford explica bem isso no texto de informação do produto.

Para a dirigibilidade, a fabricante disponibiliza sete modos de direção: Normal, Esportivo, Esportivo+, Pista, Drag, Neve/Molhado e My Mode. Todos eles se adaptam as configurações do veículo e recomendo que o esportivo mais cabe bem até mesmo quando você sai de casa e utiliza o "estágio de conforto".

O Mustang permite isso porque, quando você perceber, vai entender uma direção funcional leve e elétrica, a suspensão mais suave dentro da cidade e a condução do possante mais urbano. Pode arriscar, provar e entender que o Mach 1 tem predicados para ser o primeiro carro da sua casa com o porta-malas cabendo 382 litros por sinal. Vai encarar? O carro é massa!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL