Tenha cuidado! Modismos fitness perigosos ou sem comprovação científica

O mundo fitness renova suas tendências constantemente. A cada ano, surgem novas modalidades, acessórios e técnicas que prometem melhorar os resultados dos treinos.

Mas, além de nem todas as novidades serem eficientes, algumas podem ser perigosas e colocar em risco sua saúde. Abaixo, confira cinco modismos para passar longe quando o assunto é atividade física:

1. Malhar com cinta modeladora

Os benefícios atribuídos ao acessório são vários: cintura mais fina, abdômen durinho, menos gordura localizada e até a melhora da postura. Porém, não existe estudo científico que comprove que o uso constante seja eficiente.

Apesar de os benefícios serem visíveis após a retirada da cinta, eles são apenas temporários, devido à compressão momentânea. Além disso, o acessório também pode atrapalhar a execução de exercícios durante o treino.

2. Usar vários agasalhos para queimar mais calorias

Esqueça a ideia de correr usando moletom mesmo em dias quentes. Diferentemente do que muitos pensam, suar excessivamente não significa que a gordura está magicamente saindo de seu corpo ou que várias calorias estão sendo queimadas.

A transpiração não tem qualquer relação com o gasto calórico: é apenas uma forma do organismo resfriar a temperatura corporal, mantendo-a em torno de 36°C e evitando problemas de saúde.

A quantidade de suor vai depender de fatores como genética, sexo, intensidade da atividade física e até peso corporal —pessoas com mais gordura transpiram mais porque a o tecido adiposo funciona como isolante térmico — mas é sempre necessário repor os líquidos após o treino.

3. Treinos prontos sem acompanhamento profissional

Não tem problema querer testar um treino divulgado por uma celebridade ou uma sequência promissora de exercícios para fortalecer as pernas, afinal, os treinos prontos seguem a mesma premissa das tão queridas aulas em grupo nas academias.

Continua após a publicidade

O perigo é realizar sem o acompanhamento de um profissional de educação física, especialmente se você não está acostumado a se exercitar. O professor vai auxiliar você a corrigir a postura, orientar a execução do movimento e garantir que faça tudo da melhor forma possível, reduzindo as chances de lesões.

4. Programas de emagrecimento com promessas específicas

Emagrecer 10 kg em duas semanas? Seria uma solução incrível para quem sofre com sobrepeso, mas é impossível que o resultado seja igual para todas as pessoas. Não existe o emagrecimento sustentável e saudável de maneira rápida, muito menos de maneira genérica, sem considerar as características pessoais de cada um.

No campo da atividade física, os programas que não levam em consideração as características pessoais dos alunos podem levar a lesões sérias, e quanto à alimentação, dietas muito restritivas podem resultar em desnutrição.

5. Uso de pílulas ou shakes mágicos

Seja para ganhar músculos ou emagrecer, tenha em mente que não existem milagres, não será apenas um suplemento ou shake que vão transformar seu resultado. O indicado é consultar um profissional de saúde de sua confiança ou um nutricionista para que o suplemento possa ser avaliado.

Continua após a publicidade

Também é recomendável desconfiar de qualquer promessa que pareça boa demais para ser verdade, com alegações exageradas ou irrealistas, inclusive de depoimentos pessoais sobre benefícios ou resultados incríveis

Fonte: Eduardo Netto, diretor técnico da rede de academias Bodytech; Henrique Lopes Arantes, cirurgião plástico membro titular da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica); Meg Mendonça, professora da Cia Athletica Kansas e mestre pela USP (Universidade de São Paulo) e Paulo Gentil, mestre em educação física, doutor em ciência da saúde e professor na UFG (Universidade Federal de Goiás).

*Com matéria publicada em 13/12/2017

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes