Livro tem poemas para estimular lados diferentes do cérebro, mas funciona?

Você já ouviu falar que cada parte do seu cérebro é destinada para um tipo de atividade ou sentimento? A empresária e poeta americana Melody Godfred usou essa definição para escrever o livro "Poemas de Amor-Próprio" (Editora Sextante), criando poesias diferentes para pessoas sentimentais e analíticas.

Apesar da licença poética, especialistas dizem que as nossas conexões cerebrais são muito mais complexas do que isso.

A vida de Melody mudou há cerca de oito anos. Em 2015, ela percebeu que mesmo tendo alcançado todos os seus objetivos de vida, se sentia infeliz. Então criou a empresa Fred and Far e passou a vender anéis de compromisso para as mulheres ao redor do mundo usarem no dedinho. A intenção é que elas se lembrassem, diariamente, do compromisso que tinham com seu amor-próprio.

"Meu objetivo com esse livro é mostrar que essas mulheres não estão sozinhas. Tenho esses dois lados em mim: um analítico, que está sempre pensando sobre os fatos, e um sentimental, que deixa meu coração conduzir as decisões", disse em entrevista a VivaBem.

Na obra, o lado esquerdo da página conta com um poema para quem é mais analítico e o lado direito para quem é mais sentimental.

Mas ela não se baseou em nenhum estudo ou teve ajuda de neurocientistas para compor seus poemas. O resultado é reflexo de histórias que ouviu das mulheres que compravam o "anel do amor-próprio" em sua loja.

Ouvi milhares de depoimentos sobre o que significa se amar, se cuidar e preservar sua autenticidade. Minha pesquisa foi a partir de histórias de pessoas de 50 países diferentes. Esse foi o pilar fundamental de meu livro. Melody Godfred

Para ela, que se emocionou durante a entrevista ao relembrar de sua jornada, é importante que possamos ler algo que se conecte diretamente com a forma como expressamos sentimentos.

Continua após a publicidade

"Quando alguém conversa com você de forma autêntica, faz com que se sinta mais capaz de entender aquele sentimento. Isso cria um laço. Em um mundo onde as pessoas estão tão focadas em si mesmas, qualquer experiência de ver o mundo pelos olhos do outro é positiva", explica.

Cérebro dividido é lenda urbana

O cérebro é um órgão muito complexo para dividirmos o seu funcionamento lateralmente, dizem especialistas. Enquanto Melody tem licença para seus poemas por ser uma decisão literária, especialistas afirmam que determinar que o lado direito do cérebro funciona para uma atividade e o esquerdo para outra é um mito.

"Começamos a descobrir que o cérebro realmente funciona através de conexões a partir da década de 1980, quando surgiram equipamentos para os neurocientistas acompanharem as atividades cerebrais", explica Juliana Rodrigues, especialista em neurociências pela Faculdade de Medicina da USP. Ela completa dizendo que a ciência evolui e o que achamos que era verdade há 40 anos, mudou.

"Os hemisférios do cérebro trabalham por conexões. Existem áreas responsáveis pelos movimentos do corpo, os sentidos, linguagem e fala, por exemplo. Mas está tudo integrado", explica a neurocientista.

Gisele Sampaio, neurologista e pesquisadora do Einstein, explica que do ponto de vista da interpretação, o lado esquerdo do cérebro comanda o lado direito do corpo —e vice-versa.

Continua após a publicidade

"É bem difícil separar o cérebro, porque há uma interconexão muito grande entre os hemisférios", explica. "Para entender as emoções, os dois hemisférios estão ligados. Para ler, também", explica Sampaio.

"É importante deixar claro que o livro é ilustrativo, mas que pode fortalecer esse mito. Quanto mais nós, neurocientistas, falamos sobre o assunto, mais as pessoas vão entender", explica Juliana Rodrigues.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes