PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Isolamento da covid-19 após ômicron: 5, 7 ou 10 dias? Veja como ficou

De VivaBem, em São Paulo*

21/01/2022 10h20Atualizada em 24/01/2022 07h50

A chegada da variante ômicron mudou a orientação do isolamento para os casos de covid-19 no Brasil e no mundo. Muito mais transmissível e menos letal graças ao avanço da vacinação, ela tem causado sintomas mais leves e, em alguns casos, gerado um período de transmissão menor em quem é infectado.

Com isso, diversos países do mundo mudaram a orientação de isolamento e afastamento para casos de covid-19. A medida também ocorre para evitar que serviços essenciais sofram interrupções com a avalanche de casos e afastamentos —no Brasil, o setor aéreo viu cancelamentos de voos por causa de funcionários doentes, por exemplo.

Se no início da pandemia o isolamento recomendado a todos era de ao menos 14 dias, o número caiu para até cinco recentemente —mas pode ser maior a depender de outros fatores. Entenda abaixo.

Como fica o isolamento da covid-19 após a ômicron?

São três tipos principais de orientações de isolamento nesta nova fase da pandemia. O dia é contado sempre a partir do início dos sintomas, se houver, ou do teste positivo:

  • Isolamento de cinco dias

A pessoa só poderá sair do isolamento nesse prazo se no fim do quinto dia:

  • Não estiver com sintomas respiratórios nem febre há pelo menos 24 horas, sem tomar remédios antitérmicos para baixá-la;
  • Testar negativo com exames de PCR ou antígeno.

Mesmo se a pessoa testar negativo, é indicado continuar adotando medidas adicionais, como trabalhar de casa se puder e usar máscara em locais com pessoas. Se o indivíduo ainda testar positivo, é necessário manter o isolamento até o décimo dia.

  • Isolamento de sete dias

Ao fim de sete dias, é possível sair do isolamento sem teste se o paciente:

  • Não estiver com sintomas respiratórios nem febre por pelo menos 24 horas;
  • Não tiver tomado remédio antitérmico há pelo menos 24 horas.

Neste caso, não é necessário fazer teste para comprovar o negativo. Se os sintomas respiratórios ou febre persistirem no sétimo dia, o indivíduo deve seguir outras orientações.

Caso a pessoa teste negativo no sétimo dia, pode sair do isolamento, desde que o exame seja de PCR ou antígeno e desde que aguarde 24 horas sem sintomas respiratórios ou febre e sem uso de antitérmico.

  • Isolamento de 10 dias

Se o teste der positivo no quinto ou no sétimo dia, a pessoa deve manter o isolamento até o décimo dia. Para sair da quarentena no décimo dia, é necessário:

  • Estar sem sintomas respiratórios e sem febre por pelo menos 24 horas;
  • Não ter utilizado antitérmico por pelo menos 24 horas.

Como fica a quarentena da covid-19 após a ômicron?

É bom ainda entender a diferença entre isolamento e quarentena, embora as recomendações brasileiras não entrem nesse mérito. Diferentemente do isolamento, a quarentena serve para quem sabe que teve contato com alguém infectado pela covid-19.

Em princípio, essa pessoa também deveria ficar em casa até se certificar de que não foi infectada, mas sem a necessidade de se isolar em um único cômodo, como alguém infectado.

Para o CDC (Centro de Controle de Doenças americano), quem está com seu esquema vacinal completo, considerando doses adicionais, está liberado da quarentena, caso tenha tido contato com alguém infectado. O Brasil não forneceu recomendações sobre isso.

A realidade é que, aqui ou lá, como hoje parece que metade do planeta está com ômicron e a outra metade esteve com alguém infectado por essa nova variante, a ideia viável é todo mundo que teve contato com indivíduos contaminados continuar tocando a sua rotina, mas sendo bem mais rigoroso com o uso de máscara e sempre atento, se sentir algo diferente.

*Com informações de Agência Brasil e da coluna da Lúcia Helena.

Saúde