PUBLICIDADE

Topo

Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito


Movimento

Assim como Gusttavo Lima, é seguro fazer exercícios com covid-19?

Cantor Gusttavo Lima fez show da turnê "Buteco", no Rio de Janeiro - Roberto Filho/Brazil News
Cantor Gusttavo Lima fez show da turnê "Buteco", no Rio de Janeiro Imagem: Roberto Filho/Brazil News

Sarah Alves

Colaboração para o VivaBem

11/01/2022 13h17

No último domingo (9), ainda em isolamento por causa da covid-19, o cantor Gusttavo Lima publicou vídeos treinando na academia de sua casa —ontem, no fim da tarde, o sertanejo anunciou estar negativado para a doença com um teste realizado poucas horas antes. Mas qual é o protocolo de prática de atividades físicas para pessoas infectadas com o novo coronavírus ou que acabaram de se curar da doença?

Segundo a cardiologista Rica Buchler, é preciso ter cautela. A recomendação é não realizar nenhum exercício durante o período com a doença, porque as energias devem ser poupadas. "Em uma infecção viral, o organismo concentra as suas forças para combater o vírus. O exercício vai ser um adicional não benéfico, inclusive em casos de gripe também", alerta a diretora do serviço de reabilitação cardíaca do Instituto Dante Pazzanese, em São Paulo.

Há protocolos também para o pós-covid. É indicado que pessoas assintomáticas esperem ao menos 15 dias para retomar os exercícios após testarem positivo. Pessoas com sintomas leves devem aguardar 15 dias após já terem resultado negativo para a doença. Já quadros mais graves, com internação, e pessoas com comorbidades devem passar por avaliação cardiológica antes do retorno —mesmo quem já tinha hábito de praticar atividade física.

"Em casos que evoluem para arritmia, por exemplo, é preciso segurança para liberar o paciente, principalmente quando ele ficou internado", explica a cardiologista.

Buchler lembra ainda que quem teve covid-19 e pretende iniciar uma rotina de exercícios sem nunca ter praticado antes deve passar, ao menos, por avaliação cardiológica e teste ergométrico, padrão para o início das atividades.

A cardiologista afirma que, mesmo após o fim da infecção, é comum sentir fraqueza muscular. Por isso, é ideal que, ao retomar os exercícios, a pessoa entenda seus limites. "Nós notamos que as pessoas não conseguem retomar no patamar que faziam por cansaço físico. É preciso respeitar os sinais do organismo. Se antes andava cinco quilômetros, volta com quatro e, se estiver cansada, adia [o retorno] mais um pouco."

Movimento