PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid: 97,2 milhões de brasileiros completam vacinação, 45,57% da população

Mais de 97,2 milhões de brasileiros já completaram a vacinação contra a covid-19 - IGOR DO VALE/ESTADÃO CONTEÚDO
Mais de 97,2 milhões de brasileiros já completaram a vacinação contra a covid-19 Imagem: IGOR DO VALE/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o VivaBem, em São Paulo

07/10/2021 20h01Atualizada em 07/10/2021 21h28

O Brasil ultrapassou hoje a marca de 97,2 milhões de pessoas que completaram a vacinação contra a covid-19. No total, 97.212.008 habitantes receberam a segunda dose ou a dose única de imunizante contra a doença, o que representa 45,57% da população do país.

O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nas informações divulgadas pelas secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, 686.904 brasileiros concluíram o ciclo vacinal: 681.234 tomaram a segunda dose e outros 5.670 tomaram a única. Houve também a aplicação de 212.621 primeiras e 190.697 de reforço, com um total de 1.090.222 doses de imunizante contra a covid-19 aplicadas neste período.

Até o momento, 148.856.842 pessoas tomaram a primeira dose, o correspondente a 69,78% da população nacional. O total de doses de reforço aplicadas até aqui é de 1.954.584.

Vacinação primeira dose 7/10 - UOL - UOL
Vacinação primeira dose 7/10
Imagem: UOL

São Paulo continua como a unidade da federação que conta com a maior parcela de sua população com vacinação completa: 60,05% de seus habitantes. Mato Grosso do Sul (59,41%), Rio Grande do Sul (51,8%), Paraná (48,61%) e Espírito Santo (46,56%) vêm na sequência.

Em termos percentuais, os paulistas também estão em primeiro quanto à aplicação da primeira dose: 79,53% de sua população. A seguir, estão Rio Grande do Sul (72,76%), Santa Catarina (71,89%), Distrito Federal (71,76%) e Paraná (71,36%).

Vacinação dose completa 7/10 - UOL - UOL
Vacinação dose completa 7/10
Imagem: UOL

Doria fala em melhora da pandemia, mas sofre há 1 mês com registro de casos

Enquanto o governo de São Paulo comemora o arrefecimento da pandemia no estado, os dados de novos casos de covid-19 do próprio governo paulista, usados para balizar as ações da pandemia, estão instáveis e, provavelmente, incorretos há um mês.

Levantamento do Info Tracker, plataforma de dados da Unesp e da USP, feito a pedido do UOL, aponta que o número de casos está irregular desde 5 de setembro.

Até então, o estado mantinha uma média estável de cerca de 6.000 casos diários de covid-19. Depois do dia 5, o número caiu para 2.000 casos e voltou a subir para 3.000. Até que, em 9 de setembro, desceu à casa do milhar, e registrou 951 casos.

Na última semana, entre os dias 26 de setembro e 2 de outubro, os dados do governo Doria indicam que o estado registrou 8.513 novos casos diários.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, g1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de saúde das 27 unidades da federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Saúde