PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Rio vacina pessoas a partir de 50 anos esta semana; veja o calendário

Esta semana, as mulheres se vacinam de manhã e os homens de tarde. Na quarta, os trabalhadores da educação serão imunizados - Getty Images
Esta semana, as mulheres se vacinam de manhã e os homens de tarde. Na quarta, os trabalhadores da educação serão imunizados Imagem: Getty Images

Colaboração para o VivaBem

14/06/2021 09h08Atualizada em 14/06/2021 15h43

Todos os moradores da capital do Rio de Janeiro com 50 anos ou mais devem receber a primeira vacina contra a covid-19 esta semana. Hoje serão imunizadas as pessoas com 53 anos (veja o calendário abaixo).

Na cidade, as mulheres se imunizam no período da manhã (das 8h às 13h) e os homens no turno da tarde (das 13h às 17h). Os locais de vacinação podem ser conferidos no site da prefeitura.

Como foi feito na semana passada, a quarta-feira é dedicada para a vacinação exclusiva de profissionais da educação. Dessa vez, os trabalhadores contemplados são os do ensino superior e profissionalizante.

Confira o calendário desta semana:

  • Dia 14 de junho, segunda-feira: 53 anos
  • Dia 15 de junho, terça-feira: 52 anos
  • Dia 16 de junho, quarta-feira: profissionais da educação superior, profissionalizantes e outros
  • Dia 17 de junho, quinta-feira: 51 anos
  • Dia 18 de junho, sexta-feira: 50 anos
  • Dia 19 de junho, sábado: Repescagem para pessoas de 50 anos ou mais

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), respondeu a uma mensagem do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), sobre a vacinação hoje no Twitter. "Me aguarde. Você é o pai da vacina mas eu já adotei a criança e já ganhei o coração do imunizante. Estou preparando a resposta. Bora vacinar!", escreveu.

Ontem, o tucano anunciou que toda a população adulta do estado deve receber a primeira vacina até 15 de setembro.

O Brasil chegou ontem à marca de 23,6 milhões de vacinados com duas doses contra a covid-19, o que equivale a 11,17% da população nacional. O levantamento foi feito pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, baseado nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde.

Saúde